UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

25 de abril de 2011

"AH, LOS GRINGOS OTRA VEZ!" - A INSPIRADA CAMINHADA DE SAM PECKINPAH


Certos atores e diretores só trabalhavam seguindo rigorosamente o roteiro. Se Clark Gable estivesse fazendo uma cena, aí do ator que com ele contracenasse e mudasse uma fala qualquer. E o mesmo valia para quase todos os diretores que detestavam improvisos. Por isso Marlon Brando era tão temido pelos diretores e por isso também Sam Peckinpah sempre gastava mais do que o orçamento permitia pois era um diretor instintivo e que sentia quando uma sequência poderia crescer, mesmo fugindo das ‘amarras’ do roteiro original. Isso aconteceu em uma das melhores cenas da sua obra-prima “Meu Ódio Será sua Herança” (The Wild Bunch).

O roteiro de Wallon Green foi bastante alterado por Peckinpah antes de ser dado como pronto. Naquela dia Sam acordou como de hábito às quatro da manhã e nem bem o sol raiou lá estava ele sentado, com o roteiro nas mãos olhando o set de filmagem na localidade de Parras, no México. Pouco a pouco atores, técnicos e extras foram chegando para mais um dia de trabalho. A cena a ser inicialmente filmada eram três mera linhas no roteiro e dizia: “Pike, Lyle e Tector saem do bordel. Dutch que estava sentado à porta levanta-se. Os quatro homens vão até seus cavalos e retiram seus rifles. Os quatro homens chegam ao local onde está o General Mapache reunido com o alto comando. Mapache vê os quatro homens e diz: Ah! Los gringos otra vez!” Tudo pronto para essa cena que não levaria mais que dois minutos para ser filmada. Cliff Coleman, o assistente de direção já levava o grupo para onde seria filmada a cena dos quatro diante de Mapache. De repente, Sam chama Coleman e o cinegrafista Lucien Ballard e diz a eles que queria fazer uma tomada com Bill Holden, Warren, Ben e Ernie fazendo uma lenta caminhada da porta do bordel até onde se encontrava Mapache. Ninguém entendeu bem o que Sam queria e ele mostrou como seria a cena, caminhando ele mesmo acompanhado pelos técnicos. Cliff ainda lembrou que aquilo não estava no roteiro e nem haviam sido feitos storyboards (desenhos de produção indicativos de como seria a sequência) mas Sam não lhe deu atenção. Cliff Coleman chamou os stand-in (dublês) de Bill Holden, Warren, Ben e Ernie e os fez percorrer a caminhada de 50 ou 60 metros. Sam gostou mas pediu que figurantes se movimentassem normalmente próximos à passagem do quarteto. Sam pediu que houvesse música mexicana ambientando a cena. Coleman então alinhou os quatro atores principais que fizeram sem contestar o ensaio do jeito que Sam queria. E a seguir iniciaram as tomadas para valer, com câmeras em vários ângulos, da caminhada de Pike, Dutch, Lyle e Tector.

General Mapache
As duas centenas de pessoas que assistiam às filmagens, a maioria delas figurantes, se arrepiaram. Todos perceberam que o que Peckinpah estava fazendo era pura mágia. Emocionado, Coleman falou consigo mesmo: “Jesus Cristo. Que coisa extraordinária!” A materialização da espontânea criatividade de Peckinpah fez com que apenas com a marcha dos quatro atores, sem nenhuma palavra trocada entre eles, fossem transmitidos todos os sentimentos que daqueles homens se apossara naquela decisão de caminhar para a morte. Num átimo, quatro mentes definiram a razão de suas existências. Entre tantos momentos memoráveis de “Meu Ódio Será sua Herança”, um dos mais emocionantes é justamente aquele em que ninguém fala, nenhum tiro é disparado, até que um embriagado El Índio Emílio Fernández (Mapache) diz a fala célebre: “Ah, los gringos otra vez!”, dando início ao clímax do filme com o cenário sendo transformado na batalha mais poética de todos os tempos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário