UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

4 de junho de 2011

O MUTILADO WESTERN DE ROY ROGERS


De uns tempos para cá tornou-se comum o lançamento dos chamados “Director’s Cut” (versão do diretor). São relançamentos de DVDs contendo cenas deletadas e não lançadas na edição normal dos filmes. Alguns desses “Director’s Cut” aumentam consideravelmente o tamanho de um filme, outros quase nada acrescentam, como é o caso da versão do diretor de “Meu Ódio será Sua Herança”, que tem um minuto a mais apenas que a versão normal. Esses lançamentos geralmente acontecem com filmes mais famosos e que despertam o interesse principalmente dos colecionadores que querem ver como o filme ficaria sem ser mutilado pelos estúdios ou, algumas vezes, pela censura. Mas ver o filme cortado aqui e ali não é privilégio apenas dos filmes mais caros. Mesmo aquelas produções menores de estúdios como a Republic Pictures também entravam na tesoura...


ROY ROGERS EM GRANDE ESTILO - Em 1942 Gene Autry seguiu para o front da 2.ª Guerra Mundial e deixou vago o trono de “Rei dos Cowboys”. Herbert J. Yates, o afamado e difamado chefão da Republic logo tratou de substituir Gene Autry e promoveu Roy Rogers a principal mocinho da casa. E preparou uma quase superprodução (para os padrões dos westerns-B) intitulada “Heart of the Golden West” para catapultar de vez a já ascendente carreira de Roy Rogers. Smiley Burnette que ficou sem mocinho com a partida de Gene Autry foi o sidekick ao lado de George ‘Gabby’ Hayes que vinha sendo o sidekick constante de Roy Rogers. E todos sabem que dois sidekicks era um luxo não permitido na Republic. A mocinha foi Ruth Terry e o elenco teve ainda Walter Catlett, Leigh Whipper, Paul Harvey, Edmund MadConald, William Haade, Fred Burns e Hal Taliaferro. Completou o elenco o maior bigode do Oeste, o inconfundível Hank Bell. Como não poderia deixar de ser, Trigger também está presente nos créditos de “Heart of the Golden West”. Yates caprichou na inevitável parte musical que ficou a cargo de Bob Nolan e dos Sons of the Pioneers (Lloyd Perriman, Tim Spencer, Carl Farr, Hugh Farr e Pat Brady), além de Roy Rogers, claro, que não perdia a oportunidade de mostrar sua bela voz. Não contente, o chefão da Republic contratou para o filme o Hall Johnson Choir, famoso coral que havia participado de muitos filmes, entre eles “Branca de Neve e os Sete Anões”, “Dumbo” “Zenóbia” (Oliver Hardy), “A Tentação de Zanzibar” (com Bing Crosby & Bob Hope), “A Princesinha das Ruas” (com Shirley Temple), “Seis Destinos” (com Rita Hayworth e Henry Fonda) e até de “Lady for a Night”, com John Wayne. Como se vê, Herbert J. Yates não economizou e entregou a direção a Joseph Kane, que por sinal dirigiu todos os oito westerns de Roy Rogers em 1942.

Ruth Terry (acima);
Roy com Smiley
DELETANDO CANÇÕES - A história de “Heart of the Golden West” é a mesma vista em dezenas (quiçá centenas) de pequenos westerns: um fazendeiro e sua filha são intimidados por um poderoso barão do gado interessado em ficar com seu gado e suas terras. Aí surge o mocinho Roy Rogers para socorrer o velho oprimido e sua delicada e bonita filha (Ruth Terry). Acontece que o filme atingiu a metragem de 68 minutos, ou seja, fora dos padrões dos westerns B que raramente chegavam aos 60 minutos. Ao saber disso Yates autorizou um corte de três minutos e uma das muitas canções foi ‘sacrificada’. E assim o filme foi lançado nos Estados Unidos em Nova York em 16 de novembro de 1942. As cópias enviadas para as cidades do interior foram reduzidas a 60 minutos e outras canções sofreram a ação da implacável tesoura de Yates. As cópias lançadas em VHS quase 50 anos depois apresentavam “Heart of the Golden West” com apenas 54 minutos. Desapareceram o Hall Johnson Choir e outras músicas cantadas por Roy e por Bob Nolan e os Sons of the Pioneers, isto para tristeza daqueles que apreciam um western recheado de músicas que nada têm a ver com a história. Para aqueles que detestam músicas em faroestes até que “Heart of the Golden West” ficou melhor pois não houve nenhum prejuízo em relação à história. Os fãs de Smiley Burnette também não têm o que lamentar pois o boboca incapaz de andar cinco passos sem tropeçar está todinho no filme. Curiosamente “Heart of the Golden West” foi exibido na Austrália com a metragem original de 68 minutos. Como não estamos na Austrália, seria interessante que fosse lançado no Brasil (e até nos States) uma espécie de “Director’s Cut” desse western- B para a alegria dos milhões de fãs de Roy Rogers, o Rei dos Cowboys e daqueles que apreciam músicas durante os faroestes.

VIDEOS COM SUCESSOS MUSICAIS DE ROY ROGERS
Clicando nos endereços abaixo o fã de Roy Rogers poderá assistir vídeos com
 fotos do Rei dos Cowboys, ao som de suas grandes interpretações musicais.

“Happy Trails” - http://youtu.be/hgw_yprN_-w

“The King of the Cowboys” - http://youtu.be/XqQL77j1ank

“Hold on Pardner” - http://youtu.be/9ClzmYSh3kw

“Rodeo Road” - http://youtu.be/k9Nm6auaL3M

“Yellow Rose of Texas” - http://youtu.be/rPM7zzElj-Q

“Little Joe the Wrangler” - http://youtu.be/Q7y43dU3spo

“Alive and Kickin’” http://youtu.be/gdKdapGY9eQ

Um comentário: