UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

20 de dezembro de 2011

PISTOLAS FLAMEJANTES (Blazing Guns) – HOOT GIBSON E KEN MAYNARD


No final dos anos 20 Ken Maynard e Hoot Gibson eram os mocinhos mais populares do cinema, à frente até mesmo de Tom Mix e Buck Jones. Nos anos 30 tanto Ken Maynard quanto Hoot Gibson já não mais faziam parte do primeiro time dos cowboys favoritos do público. A perda de popularidade de ambos era proporcional aos quilos a mais que exibiam nas apertadas roupas de cowboy que usavam. Mesmo assim, com as roliças cinturas, foram contratados pela Monogram Pictures no início dos anos 40 para cavalgarem como os Trail Blazers. A reunião de antigos mocinhos era uma estratégia dos pequenos estúdios para enfrentar a nova safra de mocinhos como Roy Rogers, Charles Starrett, Gene Autry,  William Boyd, Bill Elliott e Allan Lane que eram os preferidos dos frequentadores das matinês. Entre os westerns “B” que Hoot Gibson e Ken Maynard atuaram juntos como Trail Blazers está “Pistolas Flamejantes” (Blazing Guns), de 1943.


LeRoy Mason ameaçado por Ken Maynard
BANDIDOS DO LADO DA LEI - Escrito e dirigido por Robert Emmett Tansey, “Pistolas Flamejantes” começa com a o Governador  Brighton (Lloyd Ingraham), convocando os delegados Ken Maynard e Hoot Gibson para apaziguar a cidade de Willow Springs que está à mercê do poderoso Duke Wade (LeRoy Mason). Maynard e Gibson levam juntos o amigo Eagle-Eye (Emmett Lynn). Duke Wade tem Vic (Weldon Heyburn) como capanga principal de um bando formado por Blackie (Charles King), Red Higgins (Keene Duncan) e Trigger (Dan White), entre outros malfeitores. Além deles Wade controla também o covarde Juiz Foster (John Bridges). Duke Wade tem um irmão chamado Jim Wade (Roy Brent) de quem quer se livrar para se apossar da terras do próprio irmão. Para enfrentar o poderoso bando de Duke Wade, os delegados Maynard e Gibson concebem um plano ousado que é libertar os bandidos Cactus Joe (Eddie Gribbon), Lefty (Frank Ellis) e George Kamel (Weasel) para que estes se infiltrem junto à quadrilha. Mesmo com Weasel traindo os delegados Maynard e Gibson, estes ajudados por Cactus Joe, Lefty e Eagle Eye conseguem exterminar a quadrilha de Duke Wade e limpar a cidade de Willow Spings que volta  a ter paz.


Quase todo o elenco de "Pistolas Flamejantes" em cena.

Nas fotos menores os bandidos Dan White e
Charles King; à direita Hoot Gibson com seu
ar de deboche ao lado de Ken Maynard
UM WESTERN QUASE CÔMICO - Essa história rotineira é conduzida com razoável ritmo e interesse, ainda que tudo seja previsível. As cenas de ação com a participação de Hoot Gibson beiram a comédia provocando mesmo boas risadas, o que compensa sua falta de mobilidade. O mesmo não pode ser dito de Ken Maynard que substituído por um dublê(*) nas sequências de troca de socos, se mostra lento e pesado para montar e caminhar, não tendo o histrionismo de Gibson.  É com tristeza que se assiste a “Pistolas Flamejantes”, constatando-se as presenças de Ken Maynard e Hoot Gibson envelhecidos e fora de forma, longe dos tempos em que eram mocinhos incomparáveis sobre seus cavalos. Nas sequências em que participa o cavalo Tarzan, de Ken Maynard, o animal rouba totalmente as cenas com sua inteligência e beleza. Emmett Lynn é responsável pelos momentos de comédia e é bastante engraçado como o velhote Eagle Eyes. O bandidão LeRoy Mason deixa sempre a impressão que poderia ser um homem mau na linhagem de Roy Barcroft ou Harry Woods mas fica longe desses dois excepcionais vilões. Bons momentos de comédia são proporcionados nos embates entre Hoot Gibson e Charles King, este sempre como vítima, o que leva a crer que o diretor Tamsey apostou mais no tom engraçado do que na ação intrépida que levava ao delírio o público infanto-juvenil desses westerns.

* No time de dublês de "Pistolas Flamejantes" atuaram Ben Johnson e Cliff Lyons, dois dos melhores stuntmen de todos os tempos.

Acima Ken Maynard em 1970 (foto à esquerda)
e Hoot Gibson com John Wayne em "Marcha
de Heróis"; abaixo os Trail Blazers Hoot e Ken
AVIÕES E POBREZA - Ken Maynard deixaria a seguir os Trail Blazers e encerraria a carreira de ator, enquanto Hoot Gibson permaneceria até o final da série, em 1945. Nenhum dos dois teria novas oportunidades como mocinhos no cinema. Tanto Maynard quanto Gibson estavam entre os atores mais bem pagos dos westerns “B”, mas gastavam o que ganhavam com a mesma rapidez com que faziam seus pequenos faroestes. Ambos tinham a aviação como hobby, cada um possuindo seu próprio avião. Certa ocasião quando faziam peripécias no ar Hoot Gibson perdeu o controle do seu pequeno avião que se espatifou no chão, com Gibson salvando-se por verdadeiro milagre. Ken Maynard sempre teve o vício da bebida e no final da vida morava num trailler, vindo a falecer em 1973, aos 77 anos. O final de Hoot Gibson não foi muito melhor e em 1960 o amigo John Ford lhe garantiu alguns poucos milhares de dólares por uma pequena participação em “Marcha de Heróis” (The Horse Soldiers). Esse dinheiro recebido o ajudou nos dois anos seguintes em que sobreviveu, pois Gibson faleceu em 1962, aos 70 anos de idade. Tristes finais de vida para dois atores que marcaram uma geração de fãs de faroestes. “Pistolas Flamejantes”  não é o filme indicado para quem quiser conhecer verdadeiramente os arrojados mocinhos e excepcionais cavaleiros que foram Hoot Gibson e Ken Maynard.

Nenhum comentário:

Postar um comentário