UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

13 de outubro de 2011

IRON EYES CODY, O BRANCO DE ALMA ÍNDIA


Muito antes de artistas como Marlon Brando e Neil Young demonstrarem respeito e amor pelos nativos da América do Norte e chamarem a atenção do mundo para as atrocidades sofridas pelos índios naquele que foi o maior genocídio da humanidade, houve um norte-americano que entregou sua vida à causa indígena vivendo como verdadeiro índio. Seu nome era Iron Eyes Cody que se tornou ator aparecendo em mais de duzentos filmes. Juntamente com Chief John Big Tree, Chief Yowlachie, Chief Thundercloud e Jay Silverheels, Iron Eyes Cody fez parte do grupo de atores nativos que mais interpretaram índios nos tempos em que o faroeste era um importantíssimo gênero cinematográfico em Hollywood. Porém, quase no fim de sua vida, descobriu-se que Iron Eyes Cody não era um índio de verdade.

Chief John Big Tree, Chief Yowlachie, Jay Silverheels e Chief Thundercloud.
Sobre este último há dúvidas quanto à sua ascendência índia

ÍNDIO COM PERFIL ROMANO - Iron Eyes Cody nasceu em Gueydan, cidade da Louisiana, filho dos imigrantes italianos Antonio De Corti e Francesca Salpietra, que chegaram aos Estados Unidos em 1902, ela vinda da Sicília. O casal teve quatro filhos, tendo o segundo deles nascido em 3 de abril de 1904, recebendo o nome de Espera Oscar De Corti. Signore Antonio De Corti abandonou a esposa Francesca e foi para a Califórnia, sendo seguido anos depois, pelo seu filho Oscar. Antonio De Corti conseguiu emprego como ajudante numa empresa produtora de filmes conseguindo colocar também seu filho Oscar. Em 1924 Espera Oscar De Corti, com o nome Toni Corti atuou como ator pela primeira vez. Oscar era fascinado pela cultura dos nativos norte-americanos e decidiu mudar sua identidade, passando a se apresentar com o artístico nome Iron Eyes Cody, dizendo ser filho de pai Cherokee e mãe Cree. No meio cinematográfico todos acreditaram em Iron Eyes Cody, isto apesar de ele não possuir feições de índio com seu nariz adunco e perfil romano. O que muito ajudou a convencer que o jovem ator era mesmo índio foi o fato de ele ter se casado com a índia Bertha Parker que era arqueóloga. O casal adotou duas crianças índias e Oscar De Corti não existia mais pois Iron Eyes Cody vivia como índio, jamais usando trajes convencionais e sempre de mocassins e roupas feitas de couro de animais. Dito assim fica a impressão que o filho de imigrantes italianos era um oportunista que passando por índio garantia emprego permanente nas dezenas e dezenas de westerns rodados na capital do cinema.

Iron Eyes em "O Filho do
Treme-Treme" (acima);
e em "Nevada Smith
ATOR E CONSULTOR TÉCNICO - Entre os filmes mais conhecidos que Iron Eyes Cody participou estão “A Grande Jornada” (The Big Trail) com John Wayne; o seriado “O Cavaleiro Alado” (The Miracle Rider) com Tom Mix; “Aliança de aço” (Union Pacific), com Joel McCrea e Barbara Stanwyck; “Romântico Defensor” (Albuquerque), com Randolph Scott; “Flechas de Fogo” (Broken Arrow), com James Stewart; “Nevada Smith”, com Steve McQueen; “Um Homem Chamado Cavalo” (A Man Called Horse), com Richard Harris. Muito raramente Iron Eyes Cody tinha seu nome nos créditos mas seu rosto marcante o familiarizou com o público que o reconhecia mesmo em não-westerns como “A Montanha dos Sete Abutres”, de Billy Wilder e estrelado por Kirk Douglas. Iron Eyes Cody foi ainda Consultor Técnico em diversas produções, entre elas “Índio Heróico” (Sitting Bull), com Dale Robertson e “O Grande Massacre” (The Great Sioux Massacre), com Joseph Cotten. Com a chegada dos anos 70 uma nova geração de índios autênticos passou a ser vista no cinema em lugar de Iron Eyes Cody e seus contemporâneos. Era a vez do já veterano Chief Dan George, Will Sampson, Rodney A. Grant, Wes Studi e Graham Greene. Exatamente no momento em que mais destaque ganhavam esses atores em filmes importantes como “Dança com Lobos”, Iron Eyes Cody sofreria uma injustiça quase mortal.

Acima um dos muitos painéis
expostos nas ruas dos EUA na luta
 pela conscientização ecológica,
destacando-se a lágrima do índio
UMA TRISTEZA E AS MUITAS ALEGRIAS DE UM ÍNDIO - Dona Francesca, a mãe de Iron Eyes Cody, ao ser abandonada pelo marido casou-se novamente com Alton Abshire e teve cinco filhos, entre eles Mary Abshire. Pois foi essa meio-irmã de Iron Eyes Cody quem decidiu, em 1992, revelar ao mundo fatos referentes à verdadeira origem de Cody, então com 88 anos. O ator jamais aceitou essa versão divulgada pela irmã, não por querer camuflar a verdade mas porque ele se considerava um índio verdadeiro. Iron Eyes Cody escreveu dois livros autobiográficos: “Iron Eyes Cody: My Life as a Hollywood Indian” e “Iron Eyes Cody – The Proud American” e em ambos afirma descender diretamente de índios. Sua esposa Bertha havia falecido e Iron Eyes se casou novamente com outra índia. Em 1984 Iron Eyes Cody foi alvo de uma das mais expressivas homenagem ao receber o Golden Boots Awards, entregue a grandes personalidades dos faroestes. A tristeza causada pela irmã foi atenuada em 1995 quando Iron Eyes foi homenageado pela Comunidade Nativo-Americana de Hollywood por sua dedicação ao povo indígena, recebendo uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood. Além de se considerar um índio e viver como índio, Iron Eyes Cody escreveu também um livro que explicava os significados de todos os signos dos índios norte-americanos. Índio ou não, poucos se dedicaram à causa dos índios, tornando-se um símbolo verdadeiro de um povo injustiçado. Iron Eyes Cody faleceu aos 91 anos, em 1999, em Los Angeles e sua maior atuação não foi em um filme mas sim em um comercial de 50 segundos veiculado pela luta ecológica nos Estados Unidos. Esse comercial foi exibido entre 1971 a 1980, narrado por William Conrad e inesquecivelmente interpretado pelo índio Iron Eyes Cody. Assista a esse vídeo clicando abaixo

video

Acima Iron Eyes Cody com Eddie Dean, Monte Hale (atrás) e Glenn
Campbell, por ocasião da solenidade de entrega do Golden Boots Award,
em 1984; abaixo com o Rei dos Cowboys Roy Rogers

3 comentários:

  1. Que incrível, Darci. Lembro dele em muitos filmes, mas jurava que era realmente índio.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  2. Um homem dando sua vida por uma causa justa e que sua alma reclamava por sua participação.
    Uma linda vida e O COMERCIAL MAIS AUTENTICO, PERFEITO E SIMPLES que já vi. NUNCA FIZERAM NADA MAIS BELO E ORIGINAL. Um instante de corrozão de nossos pudores e desta dignidade suja que vai terminar por destruir a nós próprios.
    E uma lágrima que sintetizava uma significativa e real dor.
    Belissimo momento! Magnifica idéia do criador deste simples, mas redundante, comercial.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ele Iron Eyes Cody escolheu viver como Índigena , abraçou os valores deste Povo Sua Cosmología etc. e as escolhas que fizemos em vida são as vezes mais fortes & significativas do que a realidade que nos é imposta ou mesmo do que a Família em que nascemos.. e quem teve uma criatura dessas por irmã realmente não precisa do demônio..!

    ResponderExcluir