UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

22 de junho de 2015

TOP-TEN WESTERNS DO CINÉFILO E COLECIONADOR MARCELO CARDOSO


Johnny Mack Brown, Robert Mitchum e Rocky Lane.
Marcelo Cardoso é natural de São Gotardo, cidade de Minas Gerais situada a 130 quilômetros da aprazível Araxá. Marcelo nasceu num tempo em que o cineminha do seu Clarimundo, em São Gotardo, exibia westerns com Roquislane, João Maquibroa e Roberto Metichumbo, que era como a garotada chamava Rocky Lane, John Mack Brown e Robert Mitchum. Marcelo viveu depois em Uberaba e mal saído da adolescência tornou-se caminhoneiro, rodando o interior de São Paulo (Barretos, Ribeirão Preto, São Carlos, Campinas, Jaú, Franca, Igarapava) transportando gado para o Triângulo Mineiro. Marcelo continuou frequentando os cinemas das cidades por onde passava, preferindo aqueles que exibiam faroestes, especialmente do seu ídolo maior que era Audie Murphy. Mas o rapaz gostava também de Randolph Scott e de John Wayne. Como os filmes de Scott e Wayne eram geralmente impróprios para menores de 18 anos, Marcelo somente os pode assistir quando se mudou para Belo Horizonte, onde estudou Direito na UCMG, na capital mineira, formando-se advogado. Marcelo passou a exercer a nova profissão no Rio de Janeiro, trabalhando numa empresa de navegação, área na qual permanece até hoje. Atualmente Marcelo trabalha e reside em Niterói, considerando-se um homem privilegiado por poder descortinar diariamente, lá de Niterói, a Cidade Maravilhosa.

Marcelo Cardoso,
advogado e cinéfilo.
Um cinéfilo generoso - Nos anos 80, já como advogado, Marcelo foi um dos muitos apaixonados por cinema que, desencantado, assistiu ao desaparecimento das grandes salas exibidoras. Porém teve como compensação o surgimento da maravilha chamada Vídeo Home System, o nosso vídeo-cassete. Marcelo começou a colecionar avidamente fitas de vídeo, com seus filmes preferidos, muitos deles assistidos na infância, outros na adolescência e boa parte na idade adulta. Com o advento do DVD Marcelo transformou sua coleção de fitas de vídeo na nova mídia, continuou adquirindo novos DVDs e quando se deu conta possuía 2.500 filmes, um terço deles do gênero western. Possuir uma grande coleção de filmes não é algo assim tão raro no Brasil, onde há centenas de colecionadores. Difícil mesmo é encontrar um colecionador que tenha igual prazer em assistir aos filmes de seu acervo e compartilhá-los. Assim é Marcelo e seu rol de amigos sabe que é só pedir determinado filme que o cinéfilo mineiro de Niterói fica imensamente feliz em atender ao pedido, remetendo os filmes pedidos ao interessado. Algumas vezes até para amigos que residem no Exterior. E que não se fale em dinheiro para ressarcir despesas pois a filosofia de Marcelo Cardoso é que intercâmbio entre amigos, mesmo quando de mão única, vale mais pelo prazer da satisfação mútua que pelo vil metal gasto. Quantos e quantos filmes Marcelo adquiriu, pagando por fitas VHS e DVDs de baixíssima qualidade, substituindo-os posteriormente por DVDs originais ou por outros de melhor qualidade. Os filmes descartados eram presenteados amigos.

Anthony Steffen e Marisa Urban
Amigo de Anthony Steffen – Marcelo lembra quando o cinema de São Gotardo se adaptou para exibir um processo que já existia nos cinemas de cidades maiores, o Cinemascope. Foi uma sensação e o filme escolhido para inaugurar a novidade foi “O Caudilho da Serra” (Sierra Baron), com Brian Keith e Rick Jason. Outro western que Marcelo não esquece é “Onde Impera a Traição” (The Duel at Silver Creek), pois foi o primeiro dos muitos faroestes que assistiu com Audie Murphy, de quem possui praticamente todos os filmes. Embora a preferência maior de Marcelo Cardoso recaía sobre os westerns norte-americanos, ele assiste também com prazer os chamados westerns-spaghetti e por uma razão bastante especial. Quando residia no bairro de Ipanema (Rio de Janeiro), Marcelo conheceu e ficou amigo do ator Anthony Steffen (Antônio de Teffé), que então morava no vizinho Baixo Leblon. A atriz Marisa Urban, também amiga de Marcelo Cardoso, conheceu Anthony Steffen passando a ser namorada do ator por algum tempo. Do acervo de Marcelo constam todos os westerns-spaghetti estrelados pelo amigo Anthony Steffen, ainda que reconheça que a maior parte deles deixa a desejar quanto à qualidade artística.

Pôsteres de "Onde Impera a Traição" e "O Caudilho da Serra".

Peter o'Toole como Lawrence.
Preto-e-brancos datados – Quando Marcelo comenta sobre os westerns que mais admira, percebe-se a ausência, com uma única exceção, de westerns filmados em preto-e-branco. Ele próprio aceita que prefere os westerns em cores, razão pela qual lembra que filmes considerados obras-primas como “Matar ou Morrer” (High Noon), “Paixão dos Fortes” (My Darling Clementine), “O Homem que Matou o Facínora” (The Man Who Shot Liberty Valance), “Consciências Mortas” (The Ox-Bow Incident) e “Rio Vermelho” (Red River) não estejam entre seus preferidos. Não tendo assistido a esses filmes à época de seus lançamentos, ao vê-los muitos anos depois, eles lhe pareceram todos ‘datados’. Mas certamente Marcelo nada tem, de modo geral, contra filmes em preto e branco pois entre os clássicos de Alfred Hitchcock, considera “Psicose” o melhor deles, depois de “Um Corpo que Cai” que é em cores. O segundo gênero na preferência de Marcelo são os filmes de guerra, tendo centenas deles em seu acervo. E entre tantos filmes de guerra os que Marcelo mais gosta são “Lawrence da Arábia”, “A Ponte do Rio Kwai” e “Doutor Jivago”, todos de David Lean e considerados obras-primas do cinema.

Anthony Quinn, John Wayne, Henry Fonda, Gary Cooper e Lee Marvin.

Jeff Bridges como 'Rooster' Cogburn.
Ótimos westerns recentes - Dos westerns mais recentes Marcelo gostou bastante de “Tombstone – A Justiça Está Chegando” (Tombstone), ainda que o considere inferior a “Sem Lei e Sem alma” (Gunfight at The OK Corral). Gostou também de “Bravura Indômita” (True Grit), com Jeff Bridges, considerando essa versão melhor que a de 1969 com John Wayne. Marcelo gostou muito de “Silverado”, “Dança com Lobos” (Dances with Wolves), “Pacto de Justiça” (Open Range), todos estrelados pr Kevin Costner e reputa “O Último dos Moicanos” (The Last of the Mohicans), com Daniel Day Lewis, um filme sensacional. WESTERNCINEMANIA solicitou a Marcelo Cardoso que relacionasse seu Top-Ten Westerns e ele prontamente atendeu, listando como bônus outros dez faroestes que considera dos melhores, abaixo apenas do seu Top-Ten. Vamos à lista de Marcelo Cardoso:


1.º) “Os Brutos Também Amam” (Shane), 1953 – George Stevens

Jack Palance chegando ao 'Grafton's' e o cão intuindo o perigo.


* * * * *

2.º) “Rastros de Ódio” (The Searchers), 1956 – John Ford

Jeffrey Hunter na interminável caçada.


* * * * *

3.º) “Da Terra Nascem os Homens” (The Big Country), 1958 – William Wyler

Chuck Connors se descontrolando no duelo com Gregory Peck.


* * * * *

4.º) “O Portal do Paraíso” (Heaven’s Gate), 1980 – Michael Cimino

Christopher Walken


Marcelo Cardoso considera estes quatro westerns acima obras-primas absoluta do cinema, confessando mesmo uma certa dificuldade em listá-los numa classificação do primeiro ao quarto.

* * * * *

5.º) “Meu Ódio Será Sua Herança” (The Wild Bunch), 1969 – Sam Peckinpah

Ben Johnson, Warren Oates e Edmond O'Brien no quartel-general de Mapache.


Marcelo Cardoso faz um único reparo a este western, afirmando que gostaria muito que Lee Marvin houvesse interpretado Pike Bishop em lugar de William Holden. Essa tese é corroborada por muitos outros cinéfilos.

* * * * *

6.º) “Onde Começa o Inferno” (Rio Bravo), 1959 – Howard Hawks

O Duke pedindo para Walter Brennan jogar a dinamite mais longe.


* * * * *

7.º) “Três Homens em Conflito” (Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo), 1966 – Sergio Leone

Depois do espancamento sofrido Eli Wallach confere quantos dentes perdeu;
Lee Van Cleef e Mario Brega observam.


* * * * *

8.º) “O Tesouro de Sierra Madre” (The Treasure of the Sierra Madre), 1948 – John Huston

Tim Holt, Walter Huston e Humphrey Bogart.


* * * * *

9.º) “Os Imperdoáveis” (Unforgiven), 1992 – Clint Eastwood

Clint Eastwood


* * * * *

10.º) “Era Uma Vez no Oeste” (C'Era Una Volta Il West), 1968 – Sergio Leone

Charles Bronson, o 'Harmônica', vingando-se de Henry Fonda, o 'Frank'.



* * * * *

Outros grandes westerns que estão entre os preferidos de Marcelo Cardoso:

Franco Nero
“Pistoleiro do Entardecer” (Ride the High Country), 1962 – Sam Peckinpah
“Sete Homens e Um Destino” (The Magnificent Seven), 1960 – John Sturges
“Sem Lei e Sem Alma” (Gunfight at the Ok Corral), 1957 – John Sturges
“Duelo de Titãs” (Last Train from Gun Hill), 1959 – John Sturges
“Sete Homens Sem Destino” (Seven Men from Now), 1956 – Budd Boetticher
“Região do Ódio” (The Fair Country), 1955 – Anthony Mann
“A Árvore dos Enforcados” (The Hanging Tree), 1959 – Delmer Daves
“Os Profissionais” (The Professionals), 1966 – Richard Brooks
“O Último Pôr-do-Sol” (The Last Sunset), 1961 – Robert Aldrich
“Django” (Django), 1966 – Sergio Corbucci

3 comentários:

  1. Darci, o amigo Marcelo Cardoso, mostra que é dos apaixonados por bang-bang e, muito interessante o gosto dele, inclusive classificando filmes muito discutidos em suas resenhas, como, O Portal do Paraíso, que alguns críticos famosos também o consideram obra-prima. Outro que pouco se vê entre os TopTen que tenho acompanhado é, O Segredo da Serra Madri, um excelente filme. Fazendo uma análise entre os Top Ten do Marcelo 12, dos 20, aproximadamente, tem a ver com os meus, principalmente, Shane, o Nº 1, o Cara conhece. Parabéns ao Marcelo, que seja bem vindo a este blog maravilhoso. Parabéns ao amigo Darci, pela montagem dos personagens, muito legal, mesmo. Paulo, mineiro.

    ResponderExcluir
  2. Ótima Lista! Só filmão! E tem um preto e branco no meio... kkkk

    ResponderExcluir
  3. Marcelo. Hoje vi seu relato a respeito de sua trajetória como amante do cinema Western.Fui seu vizinho até os 17 anos, pois nasci em Dores do Indaiá, onde durante toda minha infância assisti a faroestes no "Cine Teatro Indaiá" e me tornei fã do ator Audie Murphy. Até hoje, procuro ter seus 44 filmes lançados com melhor qualidade, mas não consigo. Não sou cinéfilo, mas amante de boas obras cinematográficas. Gostaria de manter contato. Um abraço.

    ResponderExcluir