UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

10 de outubro de 2013

TOP-TEN WESTERNS DE OSVALDO 'POITIER' DE PAULO


Nascido em Frutal, cidade da região do Triângulo Mineiro e também próxima dos limites de Minas Gerais com São Paulo, Osvaldo de Paulo mudou-se para Barretos ainda criança. O pequeno Osvaldo testemunhou o intenso transporte de gado que se fazia na região nos anos 50, bem como as festas do Peão Boiadeiro na cidade. Décadas depois Barretos se transformaria na capital nacional de rodeios. Foi em Barretos que Osvaldo conheceu o cinema e os filmes de faroestes que muito lembravam a vida rude dos vaqueiros da região, tomando cada vez mais gosto pelos filmes de mocinho e bandido. Mudando-se para São Paulo Osvaldo encontrou um grande número de cinemas que exibiam faroestes com atores que ele passou a admirar. Quando esse gênero de filme havia se tornado apenas uma lembrança, Osvaldo descobriu a confraria fundada pelo lendário ‘Médico da Lapa’ (Dr. Aulo Barretti) e a ela se filiou. Na Confraria dos Amigos do Western Osvaldo voltou a assistir faroestes e quando a oportunidade se apresentava, geralmente com a visita da imprensa ao clube, Osvaldo de Paulo era um dos mais destacados ‘mocinhos’. E certamente o mais original pois Osvaldo de Paulo era um mocinho diferente, um mocinho black. O único da confraria.

‘Kid Azulão’ vira ‘Poitier’ - Já no clube dos cowboys brasileiros Osvaldo de Paulo confeccionou, ele próprio, sua primeira indumentária de faroeste na cor azul e imediatamente ganhou o apelido de ‘Kid Azulão’. Já havia na confraria o famoso mocinho Kid Blue (Lázaro Narciso Rodrigues), que agora tinha a companhia do Kid Azulão Osvaldo de Paulo. Assim como Lazinho Kid Blue criava seus trajes, Osvaldo também fazia o mesmo e em cada ocasião o ‘cowboy colored’ surgia com roupas diferentes, numa disputa acirrada com Kid Blue, disputa de fazer inveja a Roy Rogers. Porém Osvaldo nunca gostou do apelido ‘Kid Azulão’, até que certo dia confessou ser fã de Sidney Poitier. Sempre houve muitos e excelentes atores negros no cinema norte-americano, inclusive cowboy de verdade como Bill Pickett. E nos anos 30 houve até mesmo o mocinho negro Herb Jeffries, o ‘Bronze Buckaroo’. Anos mais tarde surgiu o primeiro real astro negro no cinema, que foi Sidney Poitier e depois de Poitier vieram Harry Belafonte, Jim Brown, Fred Williamson, Morgan Freeman, Danny Glover, Denzel Washington e outros mais. Nenhum deles no entanto superou o ator de “Acorrentados” e “No Calor da Noite” na preferência de Osvaldo de Paulo. Descoberta essa admiração surgiu o novo apelido de ‘Osvaldo Poitier’, este sim bem aceito por Osvaldo de Paulo pois homenageava um dos grandes atores norte-americanos e negro como ele. A partir daí ninguém mais lembrava de seu sobrenome que passou a ser ‘Poitier’.

Lista seleta - Como não poderia deixar de ser, após assistir faroestes por mais de cinco décadas, Osvaldo se tornou um expert no gênero, tendo sempre opinião fundamentada sobre centenas de westerns. E nunca perde a ocasião para discutir com os outros cinéfilos, defendendo seu ponto de vista sobre este ou aquele filme. Osvaldo 'Poitier' de Paulo nunca deixou de assistir faroestes, o que faz até hoje, seja revendo os filmes antigos de sua coleção ou assistindo a filmes mais novos que, na opinião dele, apenas comprovam que não se faz mais faroestes como antigamente. E bota antigamente nisso. Mesmo sabendo da importância da Internet Osvaldo não possui computador, notebook, tablet ou smartphone, o que não o impediu de atender ao WESTERNCINEMANIA listando os dez faroestes que mais admira. E esse seleto Top-Ten está relacionado abaixo com rápidos comentários do próprio cowboy Poitier que gosta muito de se expressar verbalmente, mas não de escrever.

1.º)  Vera Cruz, 1954 – Robert Aldrich
Para mim o melhor de todos faroestes. Supermovimentado com show de Burt Lancaster. Quanto mais assisto “Vera Cruz” mais eu gosto.



2.º)  Rastros de Ódio (The Searchers), 1956 – John Ford
Filmaço com o racista John Wayne com John Ford mostrando toda a beleza do Monument Valley.



3.º)  Os Brutos Também Amam (Shane), 1953 – George Stevens
Faroeste emocionante com um herói inesquecível. E música muito bonita.



4.º)  O Último Pôr-do-Sol (The Last Sunset), 1961 – Robert Aldrich
Kirk Douglas fez muitos faroestes mas este é o melhor, mesmo com ele morrendo no final no duelo com Rock Hudson. Se não fosse filme jamais Rock Hudson venceria Kirk Douglas.



5.º)  Rio Vermelho (Red River), 1948 – Howard Hawks
Filme que mostra o que é ser cowboy de verdade. E cowboy de verdade era mesmo John Wayne.



6.º)  Sete Homens e um Destino (The Magnificent Seven), 1960 – John Sturges
Outro faroeste que sempre dá vontade de assistir, principalmente pelo espetacular tiroteio no final.



7.º)  Johnny Guitar, 1954 – Nicholas Ray
Outro faroeste com música bonita e mulheres muito feias. Mas há grandes interpretações. Sterling Hayden era muito bom ator.



8.º)  Gatilho Relâmpago (The Fastest Gun Alive), 1956 – Russel Rousse
Este é o filme de Glenn Ford que eu mais gosto. Glenn Ford foi um ator que fez muitos faroestes bons. Era um grande cowboy do cinema.



9.º)  Um de Nós Morrerá (The Left-Handed Gun), 1958 – Arthur Penn
Filme que tem um herói chamado Billy the Kid que não era herói como o cinema sempre mostrou.



10.º)  Por um Punhado de Dólares (Per um Pugno di Dollari), 1964 – Sergio Leone
Não gosto muito de spaghettis, mas este filme com Clint Eastwood é o melhor bang-bang italiano que eu já assisti.




Diversas poses do elegante cowboy Osvaldo 'Poitier' de Paulo.
Acima com o temido Bandolero El Mexicano (Carlos José Mubarah);
nas fotos abaixo, de vermelho, Lazinho Kid Blue.

28 comentários:

  1. Respeito todos opiniões e gosto. Mas, sinceramente não consigo entender.
    Na minha infância, assistia filmes de faroeste. E naquela epoca, lembro, que os maiores sucessos eram:dolar furado, django e trinity. Toda fazenda que eu ia, tinha m django jagunço. Assisti mais de 300 filmes de faroeste. E realmente pelo menos dois, dos que citei entraria em qualquer lista dos 10 mais. Acabei de assistir, alguns filmes com meu filho de 15 anos, alguns com Clint Eastowwod, e ele me apontou sem pestanejar: Dolar furado e Django como melhores. Então vejo, que parece ter alguma discriminação ou discrepância por parte de alguns companheiros, ou receio, sei lá, se o primeiro que fez uma lista não colocou esse ou aquele, eu não também. Só pra confirmar oque eu falo, até tempos atrás. ninguem falava em 7 homens e um destino. Foi só um fazer lista e por, que outros também colocaram em listas. abraço.

    ResponderExcluir
  2. Não tem um filme ruim na lista. Talvez, para alguns, o de Leone, mas ele não é. Ainda bem que o admirável grupo de cowboys corrigiu o deslize da alcunha para com o amigo. Sem julgamentos, uma das coisas que gosto no western de linha americana é a presença dos homens dignos e difíceis de compreender, como o xerife de High Noon. Um cowboy tem que se recuperar rápido. Pena o Osvaldo não dar as horas por aqui, mas, dá pra dizer que as poucas palavras costumam encerrar sabedoria.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Vinicius
    Veja você que um cinéfilo de gosto arraigado ao western convencional admira um dos clássicos do euro-westerns. Creio que, apesar de ser um filme pioneiro no gênero, "Por um Punhado de Dólares" conseguiu ultrapassar os limites da classificação como western-spaghetti, ganhando merecida universalidade.
    De fato, são inúmeros os exemplo de personagens como os que você descreveu nos westerns norte-americanos.
    Abraço do Darci

    ResponderExcluir
  4. MInha saudação ao Osvaldo,a quem não vejo há alguns anos !!
    Uma bela lista,com a presença dos grandes e conhecidos westerns . Respeito a preferência do meu amigo .O bloguista "anônimo" deve entender que o nosso Poitier assiste a filmes de westerns,bem antes dos Clint,dos Gemma e outros
    do western europeu. A meu ver,os melhores westerns já tinham sido feitos antes da febre do espaghetti !! É natural que numa lista de preferência,o western americano figure numa proporção bem maior !!! Abraços !!

    ResponderExcluir
  5. É muito bom ver um negro aparecer como fã de westerns e apresentar sua lista. É lamentável, por outro lado, que, como tantos outros, parece ser influenciado por pessoas, ditas entendidas, como o Sr Lau Shane Mioli, que ditam o estouro da boiada para que todos corram atrás da manada, como já afirmou alguém aqui. Esta história de que os melhores westerns já haviam sido feitos antes dos spaghetti já é bem velha e já está ficando um tanto quanto fora de moda em muitos cantos do mundo. Muitas grandes idéias brotaram da cabeças daqueles diretores europeus, nomeadamente italianos, e os americanos lamentaram não tê-las tido Sr Lau shane "entendedor'" Mioli. Crianças, pre´-adolescentes e adolescentes estão enxergando isso hoje, e o Sr não enxerga nada. Reitero as palavras do anônimo do primeiro comentário, quando escreve que basta alguém citar um western americano que ninguém estava lembrando que todo mundo resolve listá-lo também. E aí então é aquela "rasgação de seda"pra lá e pra cá. O Sr Osvaldo escolheu Por um punhado de dólares para a 10º posição, mas será que ao assistir os filmes de Sergio Leone não percebeu a evolução que ocorreu entre o primeiro e o último! Será que não teve vontade de colocar mais um dele, ou até de outro diretor europeu! Podemos gostar das coisas do passado, que acompanharam nosso crescimento e evolução, mas podemos também acompanhar e aceitar a evolução enquanto envelhecemos.

    Paulo, o último dos anônimos destemidos.

    ResponderExcluir
  6. Paulo
    Nada há de lamentável (você gosta de usar essa palavra), em pessoas terem opinião própria e expressá-las. Se essa opinião consegue influenciar outras pessoas é porque ela é bem fundamentada e os argumentos são expostos com clareza. Posso lhe assegurar que Lau Shane Mioli não é um 'entendendor' (de filmes, é isso?) como você afirma. Conheço Lau Shane Mioli de longa data e juntos, numa confraria de amigos apaixonados por faroestes, assistimos a centenas e centenas de filmes do gênero. As muitas discussões sobre filmes travadas nessas reuniões, sempre de forma educada e respeitosa, promoviam enriquecimento conjunto e Lau Shane Mioli não é, lhe asseguro, um simples 'entendedor' seja lá o que você queira dizer com esse adjetivo. Ademais, Lau Shane Mioli é pessoa inteligente, sensata, coerente, e acima de tudo educadíssimo, tratando a todos com fidalguia, palavra que anda desaparecida pois poucos fazem por merecê-la atualmente.
    Gostar mais ou gostar menos, ou ainda simplesmente não gostar de westerns-spaghetti é um direito de cada cinéfilo. O que não é direito é defensores de algum tipo de filme quererem impingir suas preferências aos demais e certamente não foi o que Lau Shane Mioli fez com seu comentário acima.
    Curioso você dizer que "essa história de que os melhores western já haviam sido feitos antes dos spaghetti já é bem velha e está ficando um tanto fora de moda em muitos cantos do mundo". Os chamados euro-westerns deixaram de ser produzidos há quase 40 anos e essa vertente está hoje tão extinta quanto os originais norte-americanos em suas diversas fases que tiveram início com a própria criação do cinema.
    A impressão que tenho é que, de modo geral, crianças, pré-adolescentes e adolescentes não estão muito preocupadas com o gênero faroeste, cultuando os spaghetti ou os norte-americanos. O público do western-spaghetti é composto em sua predominância por aqueles que os assistiram no cinema entre os anos 60 e 70 ou aqueles que os conheceram pela televisão. Crianças e adolescentes sustentam hoje uma das mais rentáveis indústrias de entretenimento que é a indústria dos games; filmes para eles somente se forem assemelhados aos games nos quais consomem horas e horas de suas vidas.
    Ainda bem que você, ao final de seu comentário, diz que podemos gostar das coisas do passado (penso que se refere aos faroestes norte-americanos), deixando como opção a evolução (penso que você se refere aos westerns-spaghetti). O direito de opção, nesse caso, deve então ser respeitado, ainda que isso cause algum desagrado aos mais radicais.
    Darci Fonseca

    ResponderExcluir
  7. José Fernandes de Campos1 de novembro de 2013 19:10

    O sr. Paulo o ultimo dos anonimos n
    destemidos, continua co nmo sempre ridiculo. O negocio dele é malhar.Desta vez escolheu o sr. "Lau Shane" para malhar. Vamos parar com este negocio de western italiano. WESTERN é americano e um abraço. Sr. Osvaldo, sua lista não é nenhum primor mas você teve coragem de colocar a cara a tapa. Um western da sua lista é bom demais: UM DE NOS MORRERA, do grande Penn e o que falar do magnifico RED RIVER. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. José Fernandes de Campos1 de novembro de 2013 19:14

    Sr. Paulo "O ULTIMO DOS ANONIMOS DESTEMIDOS" (é mole) repito: Western italiano é ruim. Nem o barulho do tiro é normal

    ResponderExcluir
  9. Meu comentário resposta foi excluído. Fui censurado nesse blog que segundo a visão do seu editor pretende ser democrático. Para quem acha que não,resquícios de ditadura cultural continuam a existir nesse país. A verdade é que os sabichões que frequentam esse blog desde o início pretendem que ele seja um nicho apenas de faroestes feitos nos EUA, e ninguém pode contestar as coisas, que como já se tornou a tônica, dizem, sem a pesquisa adequada, apenas para dar vazão ao seu preconceito, em seus comentários. A esses é permitido expressarem todo tipo de comentário ofensivo e desabonador em relação a uma vertente do western que outro país corajosa e ousadamente se propôs a fazer e se saiu muito bem, ao contrário do que diz esse sabichão J F de C. Interessante Darci Fonseca é que desde há muito essas pessoas fazem isso, e até de forma grosseira, mas o Sr nunca se manifestou para corrigi-los, deixando sempre dizerem coisas absurdas a respeito. Quando alguém resolve com coragem- o que aqui muitos não tem, com exceção de um Joailton e mais uns anônimos- rebatê-los o Sr insinua falta de respeito e fidalguia. Falta de respeito e fidalguia nesse blog já vem de muito tempo aos spaghetti e o Sr contemporizou sempre, pelo amor de Deus. O Sr diz que Shane Mioli é pessoa inteligente, sensata, coerente, e acima de tudo educadíssimo, tratando a todos com fidalguia, palavra que anda desaparecida pois poucos fazem por merecê-la atualmente. Eu também sou bem fidalgo aqui na cozinha de minha casa. O Sr J F de C é pessoa educada respeitosa e portador dessa tal fidalguia! O que vocês pretendem realmente é que esse blog seja um clube de eternas discussões e homenagens ao chamado western clássico. Tudo bem, se é assim então, então não me venha com hipocrisias fazendo aqui e ali artigos sobre o gênero europeu. Declare logo que o blog é dedicado tão somente a westerns verdadeiramente americanos.
    Não tem problema, voltarei à carga noutro momento. Hoje é um dia de sentimento e lembranças tristes para muitos e eu também vou visitar um túmulo. Quero respeitar os mortos nesse momento.

    ResponderExcluir
  10. Sr. anônimo que presumo seja Paulo de tal
    Não é norma deste blog censurar comentários. Se assim fosse eu usaria o 'moderador de comentários' que o Google disponibiliza e do qual muitos blogs fazem uso para evitar injúrias e outros tipos de ofensas. Opiniões podem e devem ser manifestadas de forma respeitosa aqui neste blog assim como em qualquer foro de discussões. Se o seu comentário foi excluído é porque ele usou termos indevidos em relação a outros comentaristas, o que é inadmissível.
    Como o senhor anuncia que voltará 'à carga noutro momento', espero que o faça em termos cordatos.
    Este blog se propõe a ser uma revista sobre o gênero western e embora focalize predominantemente os westerns produzidos nos Estados Unidos, aborda também westerns spaghetti e faroestes produzidos em qualquer outro país.
    Darci Fonseca

    ResponderExcluir
  11. Olá amigos bloguistas !! Minha saudação a todos ! Como disse num comentário acima, é natural que numa lista de preferidos,apareçam mais filmes americanos que europeus,afinal desde 1908 o americano faz westerns.Não que todos os grandes filmes já tenham sido feitos antes do spaguetti,mesmo porque,na minha lista de preferidos aparece o "Pacto de Justiça" feito agora mais recentemente,sem contar o próprio Clint,talentoso ator e diretor,que nos anos 90 fez"Os imperdoáveis" com o qual ganhou um Oscar ! Importante é cultuar o gênero,assistir e rever os filmes que gosta,cada um com sua preferência e sua posição !! Respeito a opinião de todos e admiro muito os bloguistas que fazem comentários inteligentes e bem interessantes . Vou aprendendo !!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Top 10 Western Movie Gunfights - YouTube
    www.youtube.com/watch?v=QtI1KECVOUw‎.
    Só para variar veja o Top Ten no link acima. Quem fez essa lista não está nem aí para nacionalidade. Deixem desse negócio de ficar brigando à toa. Os caras lá nem estão ligando para isso.

    Pedro P. de Aquino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa lista de duelos, ainda que estejam ausentes duelos clássicos, esquecidos pelo editor do Watchmojowatch.com.
      Darci

      Excluir
  13. The 5 best Western movies - YouTube
    www.youtube.com/watch?v=iLOP0jgcakU‎
    Nessa lista as escolhas ficam mais difíceis ainda, e vejam só o resultado. Italianos e americanos lado a lado em listas feitas até por americanos da terra do western.
    Nos comentários opiniões e sugestões de Top, de de outros fãs.

    Pedro P. de Aquino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com todo respeito ao The Buldo95, autor da escolha, considerar Silverado, Meu Nome é Trinity e Wyatt Earp (de Kasdan) entre os cinco melhores westerns de todos os tempos não é para se levar a sério. Era Uma Vez no Oeste e Três Homens em Conflito costumam frequentar as listas de melhores.
      Darci

      Excluir
    2. Sugestão:
      http://youtu.be/GqV7S9kB7Ik
      Darci

      Excluir
  14. Também discordo desses três westerns figurarem nas primeiras colocações numa lista tão apertada, mas de qualquer forma esse fato mostra um gosto mais eclético entre blogueiros dos EUA e EUROPA, não ligando muito para as diferenças de nacionalidade. O pessoal aqui briga demais por valores. que nem nossos são, e o pessoal lá, diretores e atores e blogueiros já não estão muito ligados nisso.

    Pedro P. de Aquino

    ResponderExcluir
  15. SR JOSÉ FERNANDES GOSTARIA DE AGRADECER PELO TÃO INSPIRADO ELOGIO, O QUAL DEDICASTE A MINHA PESSOA. ME SENTI MUITO LISONJEADO POR SER ELOGIADO ASSIM POR TÃO IMINENTE CRÍTICO DE CINEMA. HOJE É MUITO FÁCIL TAXAR DE RIDÍCULAS PESSOAS QUE DISCORDAM DE IDÉIAS DITATORIAIS E PRECONCEITUOSAS COMO AS DO 'ILUSTRE SENHOR'. ME CONSIDERO RIDÍCULO MESMO POR TER A CORAGEM DE DISCORDAR DE CRÍTICO TÃO EXCEPCIONAL E VENERÁVEL E SOU REALMENTE UM AFORTUNADO POR TÃO GRANDE PRIVILÉGIO. DEVO SER UM RIDÍCULO COMPARÁVEL ÀQUELES QUE CLASSIFICARAM TRÊS HOMENS EM CONFLITO E ERA UMA VEZ NO OESTE COMO OS WESTERNS MAIS IMPECÁVEIS-OU PERFEITOS- JÁ REALIZADOS. "ILUSTRE", O SR NEM SABE MINHA OPINIÃO A RESPEITO DE WESTERNS AMERICANOS. NUNCA DEI MINHA OPINIÃO SE SÃO BONS OU RUINS, APENAS NÃO APRECIO MUITO A SUA VELHA PREMISSA DO BEM CONTRA O MAL, QUE MUITAS VEZES SOA ENFADONHA, COM AS JUSTAS EXCEÇÕES QUE OCORRERAM. E, DE FATO FORMAM A BASE QUE INSPIROU OS ITALIANOS NA SUA EMPREITADA DE RELEITURA. POR OUTRO LADO QUANDO SE PENSAVA QUE TODAS AS IDÉIAS JÁ HAVIAM SIDO APRESENTADAS, OS MESMOS ITALIANOS TIVERAM A AUDÁCIA DE IR MAIS LONGE, APRESENTANDO IDÉIAS QUE NUNCA PASSARAM PELA CABEÇA DOS DIRETORES AMERICANOS, E COM CERTEZA NUNCA PASSARÃO PELA CABEÇA DO GENIAL CRÍTICO-ESSE ASPECTO INCLUSIVE JÁ FOI DISCUTIDO AQUI POR OUTROS COMENTARISTAS MAIS LÚCIDOS E HUMILDES QUE O 'ILUSTRE SENHOR' . NÃO QUERO FORÇAR AS PESSOAS AS GOSTAREM DE SPAGHETTI WESTERN, APENAS MOSTRAR QUE O GÊNERO POSSUI OBRAS APRECIÁVEIS.SE O SENHOR NÃO GOSTA, COMO JÁ ENFATIZOU VÁRIAS VEZES,NÃO OS ASSISTA SIMPLESMENTE. NÃO ASSISTIR É O SEU GRANDE PROTESTO, NÃO É? REALMENTE DEVE SER MUITO DOLOROSO PARA O ILUSTRE CONHECEDOR VER OS FILMES DE LEONE, E ATÉ DE OUTROS ITALIANOS LIDERANDO LISTAS MUNDO AFORA. SOU UM HUMILDE RIDÍCULO REALMENTE, MAS SUAS IDÉIAS RETRÓGRADAS CAUSAM INDIGESTÃO EM PESSOAS SENSATAS. O SENHOR JÁ FOI RIDICULARIZADO AQUI NESSE BLOG ATRAVÉS DE ARGUMENTOS DE COMENTARISTAS BEM MAIS SENSATOS INTELIGENTES, QUE DESMONTARAM COM CATEGORIA SEU PRETENSO E PEDANTE CONHECIMENTO FÍLMICO. 'ILUSTRE NEM ESCREVER E DIGITAR O SENHOR SABE. DESCONFIO QUE AS RESENHAS DOS WESTERNS DOS EU TOP TEN FORAM FEITAS POR OUTRA PESSOA, QUE PELO MENOS SABE ESCREVER .ALIÁS, VOLTO ATRÁS, POSSIVELMENTE DEVEM SER UMA MISCELÂNEA DE RESENHAS E ARTIGOS DE OUTROS CRÍTICOS.


    ATÉDERREPENTE
    ATÉPEDANTEMENTE
    ATÉDETRÁSPRAFRENTE
    ATÉDESPRETENSIOSAMENTE
    ATÉMAISGENTE


    PAULO, O ÚLTIMO DOS ANÔNIMOS DESTEMIDOS.

    ResponderExcluir
  16. Olá, Paulo
    Assisto faroestes há mais de 60 anos e a enorme maioria do que vi no gênero são faroestes norte-americanos e não senti até agora, de modo geral, nenhum tédio com esses filmes. Digo isso porque você afirma que a velha premissa do bem contra o mal (dos faroestes norte-americanos) soa às vezes 'enfadonha'. Ainda que menos maniqueístas os euro-westerns opõem também o bem contra o mal mesmo com os personagens principais desses filmes se diferenciando bastante dos norte-americanos. E por serem anti-heróis geralmente amorais, cínicos e menos escrupulosos acabam também se assemelhando, o que poderia ser visto como repetitivo e cansativo.
    O que mais há no cinema, inclusive dividido por gênero, são listas classificatórias dos melhores. Este blog edita a seção Top-Ten Westerns e já elaborou uma enquete (133 participantes) para apontar os melhores westerns de todos os tempos num universo relativamente amplo em termos de Brasil. Eventualmente alguns faroestes produzidos na Europa surgem nas listas dos melhores, quase sempre os de Sergio Leone, impedindo o total predomínio dos faroestes clássicos norte-americanos. Há aqueles que dedicam atenção maior (quando não exclusiva) aos westerns-spaghetti, assim como há aqueles que refutam qualquer faroeste não produzido pelos criadores do gênero. Penso que radicalismos nunca são prova de bom senso e me parece que isso é um fato.
    Darci Fonseca

    ResponderExcluir
  17. Deixa de briga gente. O cinema é antes de tudo entretenimento. Existem filmes bons e filmes ruins produzidos por qualquer país. Na minha humilde opinião existem faroestes bons e ruins dos dois lados, não ficou me apegando muito a essas diferenças de nacionalidade ou mesmo estilísticas.Uns tem tiros com sons mais fracos, outros tem tiros com sons mais cheios, sei lá. Gosto dos faroestes que considero bons tanto americanos como italianos, e podemos assim então aproveitar o essencial dos dois lados. Sr pistoleiro anonimo destemido e Sr José Fernandes vão com calma, temos coisas mais importantes para gastar tanta energia e tentar consertar, como a política, a saúde e a educação no Brasil. Os produtores e diretores tanto americanos como europeus ganharam muito dinheiro- se bem que uns mais do que outros- e não estão nem aí pra essas nossas discussões renhidas a respeito da qualidade dos sexos dos anjos de seus filmes.

    Pedro P. de Aquino

    ResponderExcluir
  18. Vejam essa lista de 25
    25 best Western movies ever | Stuff
    www.stuff.tv/25-best-western-movies-ever/news‎

    Mr Bean, westernmaníaco

    ResponderExcluir
  19. Deixando de lado a briga vou opinara sobre o Top Ten do Sr Osvaldo Poitier. Todos são filmes bem avaliados pela crítica em geral. Rastos de ódio deixou influências até os dias atuais, mas considero No Tempo Das diligências melhor; Shane já não é mais uma unanimidade, mas ainda assim tem um peso muito forte; The Latest Sunset é um bom faroeste, com direção segura ainda que não seja brilhante; Não sou muito fã de Vera Cruz, mas repeito a escolha do cinéfilo; The Magnificent Seven para mim tem uma fama desproporcional em relação ao que realmente apresenta, mas não é ruim e por fim Por um punhado de dólares, sem sombra de dúvidas o mais revolucionário de todos, e que apresentou ao mundo um diretor até então desconhecido, com uma criatividade fora do comum. Sr José Fernandes para mim os estampidos dos spaghetti foi uma invenção engenhosa, Deixa dessa coisa de ficar tentando avacalhar a criatividade dos outros só porque não o satisfaz. Alguém poderia dizer também que os tiros dos westerns americanos são sem sal e açúcar, porque observando bem, em alguns filmes eles são bem fraquinhos, não dá emoção nenhuma. Não sou um especialista na matéria, mas vou tentar explicar rapidinho a intenção desses estampidos com sons bem interessantes: Os estampidos nos filmes de Leone, Corbucci, Sollima e mais alguns dos spaghetti são bem elaborados, feitos para enfatizar a ação. Os sons tem a intenção, para mim, de identificar a personagem na trama e dar dar mais ênfase á ação-se não me engano alguém postou algo sobre isso em outro blog- o que atinge mais forte a emoção daquele que assiste. Leone os intensifica nos momentos mais dramáticos de seus filmes. mas realmente na grande maioria do subgênero exageraram na fórmula (na verdade erraram de tempero, esqueceram o molho de tomate e colocaram pimenta, e demais). Muitas vezes parecem mais bombas explodindo do que realmente tiros. Assisti um tal de Três balas para Ringo, meu amigo, que parecia mais festa se são João, espetáculo pirotécnico, os caras atiravam bem perto um do outro e todo mundo acerta em todo mundo. Uma maluquice total. É preciso entender que muitos entraram no filão aplicando poucos recursos, visando ganhar muito, conquistando audiência daqueles com gosto menos apurado, que apreciam apenas bala voando para todos os lados.É apenas um exemplo que estou dando, mas existem outros mais. Mas, cuidado para não generalizar, leone e os que citei e mais alguns como Duccio Tessari, Tonino Valerii, Giulio Petroni foram bem mais cuidadosos nesse pormenor. Ok, amigos, é isso aí, minha opinião é essa.

    Mr Bean, Westernmaníaco

    ResponderExcluir
  20. Não entendi nada. Acabei de postar um comentário, dei ok, ele apareceu publicado depois desapareceu. Não quero acreditar que deletaram também o meu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em quase três anos que este blog se mantém na web apenas duas vezes não permiti a publicação de comentários redigidos em termos ofensivos a outros leitores. Seu comentário não foi deletado, como afirma. Deve, isto sim, ter ocorrido erro na postagem do comentário.
      Darci Fonseca

      Excluir
  21. Darci, peço desculpas a você. Realmente foi isso o que aconteceu. Hoje ocorreu a mesma coisa quando tentei postar outro comentário. Apareceu publicado e rapidamente desapareceu, para depois surgi a mensagem de erro 404: Server Error 404- File or directory not found. Também ocorreu o mesmo quando tentei postar no blog de Edelzio. Eu acabara de ver o comentário do Mr Bean e resolvi opinar também. O raciocínio dele é por aí mesmo. Os estampidos de certa forma inusitados- pelo menos para a época em eclodiu os spaghetti- tem uma função simbólica pelo menos nos westerns de Sergio Leone, Corbucci, Sollima, Petroni, Valerii e mais alguns. Eu diria até que é uma parte complementar á própria plasticidade sonora deles. Foi pensado para expressar os sentimentos das personagens e identificá-los na trama da história do, ou mesmo que tem uma função simbólica para cada natureza representada. Em três homens em conflito Leone aperfeiçoou e deu praticamente a configuração perfeita em Era uma vez no Oeste. No primeiro ele emprestou um estampido a cada personagem, para passar a ideia da natureza das personagens quais sejam, O BOM, O MAU E O FEIO. Cada um tem seu próprio som praoduzido pelo estampido do seu revólver. O do mal ( Van Cleef) é mais forte e nítido, e também mais agudo, caracterizando a sua maldade; o do bom (Eastwood) também é cheio, mas não tão forte e menos agudo; o do feio (Wallach) é o mais difuso e espalhado com um som rouco, parecendo combinar os outros dois e é também o mais feio, justamente para expressar a fealdade interior dessa última personagem. E por último deve-se notar que os estampidos dos revólveres dos bandidos são quase todos iguais, um som cheio e mais rouco parecido mais com o do BOM ( Eu postei no blog do Edelzio um comentário analisando o estampido spaghetti no Post de POR UM PUNHADO DE DÓLARES). Continuando,os diretores inventivos e ambiciosos procuram acrescentar ao seu estilo novas ferramentas sígnicas para alargar o repertório fílmico já existente. Eles analisam os predecessores e aperfeiçoam seu repertório, ampliam as possibilidades, propondo até mesmo uma nova linguagem. É como se obtivessem uma síntese nova da contradição entre a tese dos outros, e até sua própria visão como antítese. Foi isso que o hoje famoso diretor italiano quis fazer, ele não queria repetir fórmulas de outros, queria inventar, O Sr José Fernandes analisa muito preconceituosamente, parecendo se esquecer desse aspecto, negligenciando a análise que se deveria fazer. Se os europeus tivessem feito exatamente igual aos americanos, como seria feita a crítica a eles? Seriam considerados reles imitadores, ou seriam elogiados por copiarem as características do verdadeiro western? Seria realmente bom para o ego dos diretores europeus, viver realizando igualmente ao cinema americano? Como resolveram propor uma nova forma de filmar, de propor uma sonoplastia ousada, multifacetada, também foram criticados. O ser humano é realmente bem complicado de entender.

    ResponderExcluir
  22. Corrigindo meu comentário na linha 10: depois de ...e identificá-los na trama da historia do... não deveria ser digitado o "do".

    ResponderExcluir
  23. E o Poitier, não diz nada?

    Mr Bean, westernmaníaco.

    ResponderExcluir
  24. EU ACREDITO PIAMENTE QUE SE LEONE QUISESSE FILMAR DENTRO DOS CÂNONES DE FORD, QUE É CONSIDERADO O MAIOR DENTRE OS REALIZADORES AMERICANOS DE WESTERN, CONSEGUIRIA TRANQUILAMENTE. OU MELHOR DIZENDO SE QUISESSE FILMAR Á MANEIRA DOS DIRETORES AMERICANOS CONSEGUIRIA NUMA BOA.. MAS É COMO O INTELIGENTE HISTORIA DIGITOU ACIMA, ELE AMBICIONAVA MESMO ERA IMPOR UM NOVO ESTILO, INVENTAR, ROMPER COM A VELHA FÓRMULA.

    Mr Bean, westernmaníaco

    ResponderExcluir