UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

8 de junho de 2013

TRILHA MUSICAL DE "O ÁLAMO", O ÁPICE DA GLORIOSA CARREIRA DE DIMITRI TIOMKIN



video


Entre os muitos aspectos positivos do western “O Álamo”, dirigido por John Wayne, destaca-se a trilha sonora musical de Dimitri Tiomkin. Veterano e premiado compositor de trilhas para o cinema, Tiomkin foi um prodígio na Rússia, onde nasceu em 1894, executando peças clássicas aos sete anos de idade. Fugindo com a família para a Europa após a Revolução Russa, Dimitri Tiomkin chegou aos Estados Unidos, exibindo-se em Nova York, onde foi descoberto pelo produtor Irving Talberg que o levou para Hollywood. O primeiro trabalho de Tiomkin para o cinema foi em 1929 e em 1940 Tiomkin recebeu a primeira das 21 indicações que teria para o prêmio Oscar de Melhor Compositor/Trilha Sonora Musical, ao longo de sua carreira. Tiomkin recebeu quatro estatuetas, três delas pelo escore musical dos filmes “Matar ou Morrer” (1952), “Um Fio de Esperança” (1954), “O Velho e o Mar” (1959). O outro Oscar foi pela Melhor Canção, do filme “Matar ou Morrer”, em parceria com o letrista Ned Washington.

Tiomkin e Webster.
A escolha de John Wayne - Dimitri Tiomkin havia musicado “Rio Vermelho” e seu trabalho nesse filme impressionara John Wayne que, bem antes de iniciar a produção de “O Álamo”, contratara Tiomkin para compor a trilha musical de seu filme. Quando Tiomkin fazia a música para “Onde Começa o Inferno”, já estava com um roteiro de “O Álamo” em mãos. O compositor russo começou a criar canções para o épico sobre a defesa do Álamo e até usou uma delas chamada “El Deguello” na extraordinária cena inicial de “Onde Começa o Inferno”. “El Deguello” é uma música que cria a atmosfera da ansiedade daqueles que esperam a morte. Além dessa canção, Tiomkin compôs ainda “Ballad of the Alamo”, “The Green Leaves of Summer”, “Here to the Ladies” e “Tennessee Babe”, contando em todas elas com a parceria de Paul Francis Webster, autor das letras. Dimitri Tiomkin nunca escondeu seu entusiasmo com a trilha que compôs para “O Álamo”, afirmando que esse filme lhe possibilitou expandir seus horizontes musicais como autor de trilhas para filmes. Apesar de extraordinária, a trilha musical de “o Álamo” perdeu o Oscar em 1961 para a trilha de Ernest Gold composta para “Êxodus” e há duas explicações para isso: Tiomkin havia ganho um Oscar apenas dois anos antes com “O Velho e o Mar” e a Academia tinha que dar um Oscar para o filme sobre a fundação do Estado de Israel, com roteiro de Dalton Trumbo. Afinal a colônia judaica era muito forte em Hollywood e havia mesmo financiado Leon Uris para que este escrevesse o livro “Êxodus”. Azar de Dimitri Tiomkin.

“As Folhas Verdes do Verão” - Mesmo a bela canção “The Green Leaves of Summer” não caiu no agrado dos membros da Academia que preferiu premiar a música-tema de “Nunca aos Domingos”, canção um pouco melhor que as fracas demais canções concorrentes. A canção “The Green Leaves of Summer” tornou-se grande sucesso sendo gravada por muitos cantores e orquestras. Essa pungente canção foi logo extraída da trilha de “O Álamo” e gravada inicialmente por Frankie Avalon, Bud and Travis, The Brothers Four, Orquestra de Hugo Montenegro, Orquestra Clebanoff, Nick Perito, The Easy Riders, Medallion Strings, Orquestra de Mantovani e pela Orquestra de Nelson Riddle. No Brasil a gravação do conjunto The Brothers Four foi a que mais tocou nas rádios, no entanto a canção atingiu o topo das paradas de sucesso numa versão de Paulo Rogério intitulada “As Folhas Verdes do Verão”, interpretada pela cantora Wilma Bentivegna. Carlos Gonzaga e Elza Laranjeira também gravaram essa versão e anos depois foi a vez de Altemar Dutra gravá-la. E até mesmo Gilberto Gil, apreciador da natureza, gravou a versão com a mesma letra.

Uma balada para “O Álamo” - O épico de John Wayne merecia ter concorrido também com a canção “Ballad of the Alamo”, excepcional composição de Tiomkin e que, assim como “The Green Leaves of Summer”, possibilitou uma rica variação musical em diferentes momentos de “O Álamo”. Frankie Avalon foi dos primeiros a gravar “Ballad of the Alamo”, canção nada apropriada para sua pequena voz. Porém quem imortalizou essa canção foi Marty Robbins que deu à música a necessária vibração e sentimento que os versos de Paul Francis Webster expressam. Webster foi vencedor de três prêmios Oscar como compositor das canções "Secret Love" (1953), "Love is a Many Splendored Thing" (1955) e "Adeus às Ilusões" (1966), tendo suas composições em parceria concorrido 16 vezes a esse prêmio. [Abaixo está a letra de “Ballad of the Alamo”, bem como a canção na voz de Marty Robbins.]

Ennio Morricone
Influenciando Ennio Morricone - O western norte-americano serviu de ponto de partida para todos os diretores, no mundo inteiro, que se propuseram a fazer faroestes. E com a música não foi diferente. O mais inovador compositor de trilhas para filmes foi, sem dúvida, Ennio Morricone e certamente sua música para faroestes sofreu influência dos compositores Elmer Bernstein (“Sete Homens e Um Destino”) e Dimitri Tiomkin, este especialmente a partir da trilha composta para “O Álamo”. Uso do trumpete, cordas, coral, percussão, tropel de cavalos e outros ruídos foram utilizados por Tiomkin em “O Álamo”, complementando uma das mais perfeitas trilhas sonoras de um western. John Wayne acertou em cheio quando escolheu Dimitri Tiomkin para musicar “O Álamo”, mas talvez não contasse com um trabalho tão espetacular e que muito ajudou a tornar seu filme um clássico.


video


BALLAD OF THE ALAMO

Música de Dimitri Tiomkin / Letra de Paul Francis Webster

In the southern part of Texas, in the town of  San Antone
There's a fortress all in ruin that the weeds have overgrown.
You may look in vain for crosses and you'll never see a one
But sometime between the setting and the rising of the sun
You can hear a ghostly bugle as the men go marching by
You can hear them as they answer to that roll call in the sky.
Colonel Travis, Davy Crockett and a hundred eighty more
Captain Dickenson, Jim Bowie, present and accounted for.

Back in 1836, Houston said to Travis:
"Get some volunteers and go fortify the Alamo."
Well, the men came from Texas and from Old Tennessee
And they joined up with Travis just to fight for the right to be free.

Indian scouts with squirrel guns, men with muzzle loaders
Stood together heel and toe to defend the Alamo.
"You may never see your loved ones", Travis told them that day.
"Those that want can leave now, those who'll fight to death, let 'em stay."

In the sand he drew a line with his army sabre.
Out of a hundred eighty-five, not a soldier crossed the line.
With his banners a-dancin' in the dawn's golden light
Santa Anna came prancin' on a horse that was black as the night.

He sent an officer to tell Travis to surrender
Travis answered with a shell and a rousin' rebel yell.
Santa Anna turned scarlet: "Play Deguello", he roared.
"I will show them no quarter, everyone will be put to the sword."

One hundred and eighty five holdin' five thousand.
Five day, six days, ten; Travis held and held again.
Then he sent for replacements for his wounded and lame
But the troops that were comin' never came. never came, never came.

Twice he charged, then blew recall. On the fatal third time
Santa Anna breached the wall and he killed them one and all.
Now the bugles are silent and there's rust on each sword
And the small band of soldiers lie asleep in the arms of the Lord.

In the Southern part of Texas, near the town of San Antone

Like a statue on his Pinto rides a cowboy all alone.
And he sees the cattle grazin' where a century before
Santa Anna's guns were blazin' and the cannons used to roar
And his eyes turn sort os misty, and his heart begins to glow
And he takes his hat off slowly... to the men of Alamo.
To the thirteen days of glory... at the siege of Alamo.




3 comentários:

  1. Gostei da matéria ! A composição de Dimitri e P.F.Webster é muito bem feita,digna para um grande filme,na minha opinião !
    Não conhecia algumas gravações da música em português. A da Wilma Bentivegna,versão do radialista Paulo Rogério foi um sucesso,ficando semanas entre as preferidas do público nas paradas. A capa do LP do Carlos Gonzaga,foi um achado. Ótimo !! Parabéns !! Laudney Mioli

    ResponderExcluir
  2. Laudney
    Meu CD de "O Álamo" foi extraído do LP que você ganhou num sorteio na Confraria dos Amigos do Western e me emprestou. Uma pena que a edição brasileira do disco tenha apenas 14 músicas, faltando outras dez. Algumas delas consegui na Internet.
    Darci

    ResponderExcluir
  3. É verdade,eu tenho o LP "The Alamo" CBS comprado na Breno Rossi
    já em estado de falência !! Parece que a cantora MORGANA,a fada loira, também gravou a canção principal.Pesquisei e não achei,mas um amigo de Indaiatuba me disse que ela gravou. Não sei !!!Um abraço !

    ResponderExcluir