UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

5 de setembro de 2012

AMBIÇÃO ACIMA DA LEI (Posse) - O MARKETING POLÍTICO NO VELHO OESTE



Quentin Tarantino e Kirk Douglas.
Kirk Douglas estreou no cinema em 1946. Menos de cinco anos depois Kirk já era considerado uma dos grandes astros de Hollywood. Porém não era nada fácil trabalhar com Kirk Douglas que quase sempre se intrometia em todos os detalhes das filmagens, levando os diretores à beira da loucura. Mais ainda quando Kirk, com sua Bryna Productions, mandava literalmente na produção. Demorou, no entanto, até 1973 para o ator com o mais famoso furinho no queixo assinar oficialmente a direção de um filme e este foi o mal-sucedido "Scalawag", espécie de 'Ilha do Tesouro' no Velho Oeste, produção da Bryna. Insatisfeito com o resultado e com o dinheiro perdido, o desafiador Kirk Douglas voltou a produzir e a dirigir um novo faroeste em 1975, filme que se chamou "Ambição Acima da Lei" (Posse). Recebido com frieza pelo público e pela crítica, nunca mais Kirk Douglas voltou a dirigir um filme, o que foi uma pena pois "Ambição Acima da Lei" é um western que merece atenção. Por sinal, no Festival Internacional de Cinema de Santa Bárbara, realizado em outubro de 2009, Quentin Tarantino apresentou e rasgou enormes elogios a este western de Kirk Douglas.


Ulysses S. Grant e George Armstrong Custer.
Heróis na política - "Ambição Acima da Lei" é uma história de autoria de Christopher Knopt ("O Imperador do Norte"), com roteiro elaborado pelo próprio Knopt em parceria com William Roberts ("Sete Homens e um Destino"). Realizado num período de efervescência política devido à recente renúncia do presidente Richard Nixon após o escândalo de Watergate, "Ambição Acima da Lei" mostra que o marketing político funcionava bastante bem já nos tempos do Velho Oeste, antes mesmo dessa palavra ser inventada. A rigor remonta aos tempos dos pioneiros pois Davy Crockett depois de se tornar 'The King of the Wild Frontier' conseguiu se eleger senador do Congresso norte-americano. Não tivesse Crockett se metido na suicida defesa do Álamo, poderia ter chegado a ser presidente, sonho de um outro tão famoso quanto discutível herói, o General George Armstrong Custer. E Ulysses S. Grant, também general nortista, tornou-se após a Guerra Civil o 18.º presidente dos Estados Unidos. "Ambição Acima da Lei" se propôs, em tempos de westerns revisionistas, a mostrar como o marketing pessoal podia sedimentar o caminho político de um corajoso defensor da lei, neste caso o Marshal (Delegado Federal) Howard Nightingale, interpretado por Kirk Douglas.

Palanques no Texas - Colocando a bravura e o talento com que caçava bandidos à serviço da Ferrovia Texas-Arizona, Howard Nightingale sabia que a captura do bando liderado por Jack Strawhorn (Bruce Dern) lhe traria os votos necessários para se eleger Senador. Famoso assaltante de trens, Strawhorn vê todos seus homens serem mortos por Nightingale, que o captura vivo e faz uma entrada triunfal na pequena cidade de Tesota, no Texas. A patrulha comandada por Nightingale veste-se harmoniosamente com camisas pretas nas quais se destaca o reluzente distintivo de cinco pontas pontas. À frente, conduzindo o criminoso numa bem ensaiada coreografia, o impávido Nightingale ostenta o hipócrita ar de falsa modéstia de quem apenas cumpriu seu dever. Mas o delegado não se esquece de repisar esse seu ato no palanque armado na mesma noite naquela cidade cujos votos ele conta como certos. Na manhã seguinte Strawhorn será conduzido, de trem, para a prisão federal em Austin, onde aguardará julgamento. Antes porém, esse trem especial passará por outras cidades nas quais Nightingale repetirá a estratégia de exibir o prisioneiro, subir nos palanques e pedir os votos da população. Nightingale, quer ser “...a voz de cada cidadão na defesa da lei e da ordem”. “As víboras como Strawhorn nunca mais ameaçarão os homens de bem", são palavras do batido discurso de Nightingale.

A atualização do jornal ao sabor dos
fatos políticos.
O rato caçando o gato - A Texas-Arizona Rail-Road deu a Nightingale um trem especial composto por dois vagões. Um deles para transporte dos cavalos e ainda com uma cela para os prisioneiros. O segundo e luxuoso vagão leva Nightingale e seus homens com muitas mordomias, entre elas uma cama para o Marshal descansar enquanto se prepara para a próxima parada. Quando o trem deixou a cidadezinha para trás, a manchete do ‘Tesota Sentinel’ já estava pronta e o jornal circularia anunciando “Nightingale Captura Strawhorn”. Algum tempo depois o editor Harold Hellman (James Stacy) avisa o velho tipógrafo para alterar a chamada para “Strawhorn Escapa de Nightingale” pois o improvável havia acontecido. Bandido com admirável intelecto, Jack Strawhorn consegue com um palito de fósforos, que lhe foi dado pelo próprio Marshal, atear fogo no trem e colocar a patrulha em seu encalço, retornando agora ao trem. Strawhorn captura e algema Nightingale fazendo o trem em chamas retornar para Tesota. Strawhorn expõe Nightingale ao ridículo diante da população que horas antes o aclamava como herói. Não satisfeito o bandido assaltante de trens desperta a cobiça dos membros da patrulha fazendo-os renunciar a seus cargos como homens da lei em troca de seis mil dólares para cada um, dinheiro rateado de forma nada expontânea entre o Banco de Tesota e os comerciantes da cidade. Humilhado, Nigthingale vê com desespero sua pretensa carreira política chegar ao fim.

Strawhorn (Bruce Dern) destruindo Nightingale (Kirk).
Senso de moralidade - A metáfora com o caso Watergate é mais que evidente, no entanto “Ambição Acima da Lei” denuncia exemplarmente a hipocrisia inerente aos candidatos a cargos públicos e a estratégia mercadológica para se tornar conhecido junto ao eleitorado. Para Nightingale o essencial não era capturar Strawhorn, mas usá-lo como peça vital de sua mitificação que o levará ao Senado ou “quem sabe algo mais”, como ele confessa ao editor Hellman. Sua função é usada como trampolim. O jornalista não suporta Nightingale pela total falta de ética do delegado, algo de modo geral normal em qualquer candidato em qualquer tempo e lugar. O Velho Oeste nunca foi a exceção a essa regra, com a diferença do patriotismo sempre exacerbado dos norte-americanos. Em “Ambição Acima da Lei” o senso de moralidade passa do homem da lei para o salteador de estrada de ferro.

“Sou ladrão e você mentiroso” - A temática da aspiração política a qualquer preço não é assunto fácil de ser tratada num faroeste, mas o roteiro de Knopt-Roberts é hábil em mesclar as muitas observações com ação de melhor qualidade. “Sou ladrão, mas você é algo pior. Você é um político!”, diz Strawhorn a Nightingale. E quando este lhe diz que “Homens honestos não se corrompem”, ouve como resposta que “Homens honestos só continuam honestos enquanto compensa. Por isso eu sou ladrão e você é mentiroso.” Esta última frase serve tanto para o marshal como para os homens que formam sua patrulha e que lhe viram as costas corrompidos não pela ambição política mas pelo dinheiro, mal senão menor no filme, seguramente menos torpe. Se há um ponto falho em “Ambição Acima da Lei” é a presença forçada e confusa do jornalista interpretado pelo infeliz ator James Stacy. A direção de Kirk Douglas é segura e dinâmica, mesclando a ascensão e queda de Nightingale com tiroteios, perseguições e uma fuga espetacular. Inevitável a lembrança não só de “Galante e Sanguinário” (3:10 to Yuma) como também de “Duelo de Titãs” (Last Train to Gun-Hill) na sequência da espera no hotel. Douglas encerra seu western não com uma cena climática de ação mas com uma pouco inspirada lição de moral. A cinematografia de Fred J. Koenekamp torna este western ainda mais brilhante e a música de Maurice Jarre emula a de Ennio Morricone sem no entanto criar a atmosfera como fazia o grande compositor italiano nos westerns-spaghetti. O produtor-executivo é Phil Feldman (“Meu Ódio Será Sua herança”) que muito deve ter ajudado o diretor Douglas na concepção das sequências com o trem em movimento.

A imprensa, cuja força não chega a ser determinante; o fotógrafo,
registrando tudo que se passa em Tesota.

Bo Hopkins e Luke Askew (acima);
David Canary e Alfonso Arau (abaixo).
A generosidade de Kirk Douglas – Com tanta experiência no cinema, Kirk Douglas sabia que entregar o personagem Jack Strawhorn a Bruce Dern possibilitaria a este dominar o filme. E Dern, como é de seu costume, não deixou escapar a oportunidade. Sem os excessos que por vezes o acomete, Bruce Dern faz seu personagem crescer, superando Douglas que visivelmente aceita o segundo plano. E Kirk foi ousado ao cercar-se de um elenco composto por ótimos atores como Luke Askew e Bo Hopkins e ainda Alfonso Arau, todos capazes de caracterizações perfeitas. Kirk Douglas criou o personagem do editor Hellman especialmente para ajudar James Stacy que em 1973 havia perdido o braço e a perna esquerda em acidente de motocicleta. Outra presença marcante é a de David Canary como um traidor que é fuzilado por Bruce Dern. Após assistir “Ambição Acima da Lei” lamenta-se que Kirk Douglas não tenha mais dirigido. Certamente Kirk chegaria como diretor próximo do grande ator que emocionava o público a cada filme.


Nightingale (Douglas) fazendo de seu trabalho um trampolim político,
desfeito com a ousadia, coragem e inteligente de Strawhorn,
que leva Nightingale à suprema humilhação e derrota política.

2 comentários:

  1. É um bom western com toques políticos, situação um pouco incomum ao gênero.

    Como curiosidade, o mexicano Alfonso Arau que sempre foi bandido coadjuvante em westerns, se tornou um bom diretor e fez o ótimo "Como Água Para Chocolate".

    Abraço

    ResponderExcluir