UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

23 de agosto de 2012

DE ELTON JOHN PARA ROY ROGERS, COM SAUDADE E LIRISMO

Roy Rogers foi um dos cowboys mais admirados do mundo do cinema. Entre tantas homenagens que o Rei dos Cowboys recebeu, uma das mais bonitas e singelas foi uma canção escrita por Elton John e Bernie Taupin. A canção chama-se "Roy Rogers" e fez parte do álbum "Goodbye Yellow Brick Road", lançado em 1974 e que traz na capa o extravagante e talentoso cantor na estrada que levou Judy Garland a Oz. Também faz parte desse disco a canção "Norma Jean" lembrando Marilyn Monroe. Porém para os fãs de faroestes o melhor desse álbum é saber o quanto Roy era e é amado. Abaixo um vídeo contendo a canção "Roy Rogers", com depoimentos de Elton John, Bernie Taupin e pessoas que trabalharam na produção dessa pequena obra-prima da nostalgia.

video


9 comentários:

  1. Olá, Darci

    Lindas homenagens a Roy Rogers, a música, o vídeo e um lugar de honra aqui no blog!
    Adorei!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que a história da música eu conhecia como grande apreciador de Elton John que sou.
    Sabia que ele interpretara uma segunda voz sobre a sua própria primeira voz como é conhecido aqui no Brasil entre as duplas sertanejas raízes.
    Lembro-me que tinha um compacto simples com a música e que ouvia muito nos bailinhos de garagem e me passaram a mão no disco.
    Fui encontrar outro igualzinho em um sêbo no ipiranga e ainda tenho guardado na minha coleção.
    Muito legal este post.
    Fez recordar bons momentos de Roy e Elton.
    Parabéns Darci.


    ResponderExcluir
  3. Edelzio, como você é músico, creio que vale contar uma curiosidade. Primeiro comprei o compacto, em 1974 e notei que ao final da canção escuta-se um tropel de cavalos, os hoofebeats de um dos versos. Depois que havia sido lançado o CD saiu o LP que eu comprei em seguida. Duas surpresas: o LP era simples, enquanto o que foi lançado nos EUA e Inglaterra era duplo. E a canção "Roy Rogers" não tinha o tropel do cavalo ao final. Coisas das gravadoras brasileiras. Quem, aqui em São Paulo, quisesse conhecer o álbum na íntegra tinha que comprar o importado no Museu do Disco a um preço proibitivo.
    Janete, obrigado. Você sabe que quem lembrou da canção foi nossa amiga Cibele. Obrigado a ela também.
    Darci

    ResponderExcluir
  4. Darci,

    Simplesmente emocionante! Elton John dispensa os comentários, simplesmente único, e, especialmente nessa canção, nos toca de modo peculiar. Você e o Edelzio são seguramente responsáveis pelos dois maiores blogues sobre western no Brasil, o acervo é, dá para perceber, espetacular. Nós, pobres mortais, só podemos agradecer por poder ter acesso a tantas coisas legais via Westerncinemania e Bang Bang a Italiana no Brasil, principalmente nós, os iniciantes no tema. O espaço da internet é excelente mas penso que vocês deveriam se juntar, talvez, e pensar em algo mais, como editar os livros que nós não temos no Brasil sobre o tema, ou até, quem sabe, montar, em São Paulo, um... museu dedicado ao tema, junto com tanta gente boa no assunto e que pode auxiliar de várias formas. É excelente para resguardar os acervos coletados com tanta perícia e carinho pelos maiores amantes do gênero no país.

    Grande abraço!

    Vinícius Lemarc

    ResponderExcluir
  5. Olá, Vinicius. Desta vez fiquei envaidecido de verdade. A comparação com o amigo Edelzio me enche de orgulho. Pretendo mesmo conversar com ele mas para aprender um pouco mais. Ter uma pessoa culta e inteligente como você me dá a certeza de estar no caminho certo. Grande abraço - Darci

    ResponderExcluir
  6. Prezado Darci,

    O primeiro filme com Roy Rogers que assisti foi "O Filho do Treme-Treme" (Son of Paleface) em 1953, quando eu tinha 10 anos de idade. Daí vi praticamente todos os seus filmes que foram exibidos nos cinemas, na TV e lançados em DVD.
    Em 1996 em visita ao "Roy Rogers & Dale Evans Museum" em Victor Ville, California, eu e minha esposa, tivemos a sorte de nos encontrar com Roy Sr. e Roy Jr. que estavam no local após um mês afastados devido ao infarto sofrido por Dale Evans. Ambos foram muito amáveis e conversamos por uns 10 minutos (sobre sua visita ao Brasil em 1960, Trigger, Dale Evans etc.) até que foram chegando outros visitantes que queriam vê-lo em carne e osso.

    Roy Rogers aos 85 anos aparentava muito menos, sempre sorrindo, agradeceu nossa visita e pediu a sua secretária Mrs. Rose que anotasse nossos nomes etc.. Uns dois meses após a vista recebemos um pacote com diversos brindes com seu agradecimento. Foi uma grande surpresa. Infelizmente dois anos depois RR faleceu vítima de problemas cardíacos.

    Quanto ao CD duplo de Elton John cujo título é “Goodbye Yellow Brick Road” onde consta composição “ROY ROGERS” de sua autoria e Bernie Taupin, realmente no final ouve-se o trotar de cavalos. Essa composição foi usada como tema de “Roy Rogers, o Rei dos Cowboys” episódio da série “Duro na Queda” (Fall Guy).

    Mario Peixoto Alves

    ResponderExcluir
  7. Olá, Mário - Que bonita história a sua e parabéns por ter tido a honra de se encontrar com Roy e Dale. Uma das maiores qualidades do Rei dos Cowboys era sua afabilidade. Todos dizem que apesar de sua fama, ele fazia com que todos se sentissem como se fossem seus grandes e antigos amigos. Infelizmente não conheço esse episódio de Duro na Queda.
    Grande abraço do Darci

    ResponderExcluir
  8. Darci, ROY ROGERS,era Presidente Mundial, do CLUBE DAS AMÉRICAS,dos funcionários da SEARS ROEBUCK SA.

    ResponderExcluir
  9. Olá, informação interessante essa. - Darci

    ResponderExcluir