UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

6 de março de 2012

COWBOYS & ALIENS SE DEFRONTAM NO VELHO OESTE


Faroestes são moscas brancas no cinema atual. Por essa razão nenhum deles pode ser ignorado, ainda que decepcionante como “Jonah Hex – O Caçador de Recompensas” (Jonah Hex), de 2010, bom como “Os Indomáveis” (3:10 to Yuma), de 2008, ou excelente como “Bravura Indômita” (True Grit), de 2010. Em 2011 foi lançado “Cowboys & Aliens”, faroeste que nada tem de bom e é em tudo decepcionante.


O cowboy Harrison Ford
GENTE DEMAIS, QUALIDADE DE MENOS - Filmar westerns-ficção-científica não é novidade pois em 1973 Yul Brynner interpretou um cowboy robotizado em “Westworld – Onde Ninguém tem Alma” (Westworld); mais tarde, em 1981, foi a vez de Sean Connery atuar em uma espécie de “Matar ou Morrer” passado em Júpiter no western-sci-fi “Outland – Comando Titânio” (Outland). Essa mistura de gêneros voltou a acontecer em “Cowboys & Aliens” com Harrison Ford em um dos papéis principais, o que criou a expectativa positiva para quem se lembra da impressionante ficção-científica-noir “Blade Runner, o Caçador de Andróides”, de Riddley Scott. Este não é o primeiro western de Harrison Ford que antes havia atuado em “O Rabino e o Pistoleiro”, de Robert Aldrich, em 1979. Além de Harrison Ford, “Cowboys & Aliens” traz no elenco o mais recente 007, Daniel Craig, uma espécie de Steve McQueen mal acabado e sem carisma algum. E ainda Keith Carradine, Clancy Brown e um grupo de atores da nova geração. A produção é da DreamWorks de Steven Spielberg também um dos produtores-executivos, ao lado de outros cinco produtores-executivos. Por sinal o que não falta neste western-sci-fi são produtores, num total de 17, entre eles até Ron Howard. O número de roteiristas de “Cowboys & Aliens” também é enorme, pois foi escrito a 18 mãos ou nove roteiristas (um deles autor de graphic novel, o modernoso nome das histórias em quadrinhos), mais parecendo um daqueles sambas-enredo em que quase todos os componentes da ala de compositores de uma escola de samba assinavam o samba, resultando quase sempre numa colcha de retalhos tipo ‘samba do crioulo doido’. “Cowboys & Aliens” não está longe disso...

OS ALIENS NO VELHO OESTE - Na cidadezinha de Absolution aparece Jake Lonergan (Daniel Craig), foragido da justiça que perdeu a memória e carrega um estranhíssimo bracelete no antebraço esquerdo. Absolution é dominada pelo poderoso criador de gado e ex-Coronel Confederado Woodrow Dolarhyde (Harrison Ford), a quem toda a cidade teme e obedece, à exceção do Sheriff John Taggart (Keith Carradine) e de Meacham (Clancy Brown). Os demais habitantes da cidade se submetem passivamente a Dolarhyde até que um a um vão sendo seqüestrados por naves espaciais que mais se assemelham a enormes mariposas. Aos poucos Lonergan recobra a memória e descobre que havia sido vítima de aliens e que acidentalmente se vê com o bracelete no antebraço. Esse estranho adorno é de fato a arma única capaz de exterminar os extraterrestres que chegaram à terra numa gigantesca nave espacial que se encrava no solo e dali extrai ouro, seu precioso combustível. Essa mesma nave serve de hangar para as mariposas voadoras. Aliados por força das circunstâncias, Lonergan e Dolarhyde saem em busca dos seqüestrados e na jornada encontram e enfrentam uma quadrilha anteriormente chefiada por Lonergan, encontram índios apaches e também os estranhos invasores. Depois de vencer os humanos, Lonergan e Dolarhyde partem para uma ação digna de Han Solo (Star Wars), Indiana Jones e do replicante Rick Deckard (Blade Runner) com a audácia de 007, destróem as criaturas e a nave espacial que ameaçava exterminar o Velho Oeste.

Daniel Craig substituindo o Colt pelo
bracelete de mil e uma utilidades
O BRACELETE DE MIL UTILIDADES - Está certo que “Cowboys & Aliens” é dirigido ao público que vibra com filmes como “Homem de Ferro” (1 e 2), ambos dirigidos por Jon Favreau, o mesmo diretor deste western-sci-fi. Mas ainda assim e com os recursos possíveis para uma boa ficção-científica, o resultado é um filme frio, sem nenhuma emoção, desprovido de ritmo e do sabor de um bom faroeste e despido também de humor. Todos que participam do filme levam-no a sério demais, a começar por Harrison Ford, infeliz na criação do áspero manda-chuva de Absolution, inconvincente homem metade mau metade bom e o que é pior, totalmente mau humorado como se durante as filmagens tivesse descoberto a armadilha em que caíra. Daniel Craig, por sua vez, passa o filme todo com cara de quem não sabe o que está acontecendo, em estado de amnésia. Espertamente porém descobre que o estranho bracelete em seu antebraço é uma arma infalível, seja contra homens maus, índios ou extraterrestres. E deixamos de ver o clássico sacar rápido de um Colt trocado por uma engenhoca de outro mundo que inexplicavelmente se abre, faz mira e dispara raios laser mortais. Tão inusitada quanto a arma de Jack Lonergan é a chegada dos aliens captores de seres humanos, mas nada parece surpreender as pessoas em Absolution, como se esses extraterrestres fossem algum tipo de tribo de índios que sempre fizeram parte do cenário do Velho Oeste.

Olivia Wilde, vinda de outro mundo
UM QUASE FRACASSO DE BILHETERIA - A idéia absurda de filmar um western-sci-fi até poderia resultar num filme interessante, mas não é o que acontece com “Cowboys and Aliens” e o cinema perde uma boa oportunidade de apresentar as virtudes de um faroeste moderno às novas gerações. Sem ser exatamente um fracasso de bilheteria, este western ficou longe da expectativa que o cercava, tendo custado 163 milhões de dólares e rendido no mundo todo 175 milhões de dólares. “Bravura Indômita” (True Grit), o remake de 2010 estrelado por Jeff Bridges custou 38 milhões de dólares e arrecadou no mundo todo 251 milhões de dólares, certamente dando uma idéia muito melhor do que é um verdadeiro faroeste, sem invencionices e sem concessões para atrair o público.


Daniel Craig e Harrison Ford, fugindo dos aliens ou do próprio filme?

8 comentários:

  1. Assisti a esse filme e achei muito louco.
    Se com toda essa tenologia de hoje já seria difícil enfrentar Alienígenas que [supostamente seriam mais avançados], imaginem no Velho Oeste.
    É exatamente isso, a dificuldade de enfrentarem o que não entendem o que são.
    Só achei o roteiro de Harrison Ford um pouco fraco. Acho que ele mereceria mais ação como em Indiana Jones, mas como relatou o Darci;
    É diferente por isso é interessante.
    Muito bom!

    www.bangbangitaliana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É um ótimo exemplo de como gastar milhões de dólares num filme patético que não vale absolutamente nada!
    E se ainda por cima temos Harrison Ford o filme ainda se torna mais irritante...

    ResponderExcluir
  3. Tô criando coragem pra assistir esse.

    ResponderExcluir
  4. Esse filme parece ter um unico objetivo, faturar na bilheteria,
    com a presença de Harrison Ford no elenco e agradar o público
    que aprecia western e ficção cientifica. A meu ver um projeto ambicioso demais.

    ResponderExcluir
  5. Darci, preste atenção;

    Sabe o que mais me espanta no seu comentário? Vou te dizer; você, VOCE ainda se mexer para ver um filme deste. Pelo amor de Cristo, Darci!!! Cawbois e Aliens??? Só o titulo espanta!
    Nunca. Mas, nunca mesmo este fita passará por meu DVD e, quando passar na TV, jamais a verei.

    Sabe do que eu gosto mesmo? Acho que sabe, e demais; gosto é de um bom e legitimo faroeste. Mais bem dito ainda, aqueles dos anos 50 até 70.
    Não vê que não vou arredar uma pena sequer para ver mentiras descompassadas, idiotas e sem qualquer sentido?

    Agora; gostei de ouvir você falar de O Caçador de Recompensas.
    E disse que ele é bom. Que boa notícia, pois exitei várias vezes em ve-lo. Mas agora sim, não tenho mais duvidas e lá vou apanha-lo para ver.

    A respeito deste idiota Craig, que de bom somente fez mesmo foi Estrada da Perdição. E mesmo assim pelo bom apoio de grandes astros ao seu lado. Senão...Deus sabe o que ele faria.

    Ele é pessimo! É o pior 007, (fora aquele absurdo de George Lazemby) que já vi na vida! O cara não tem não é somente carisma não. Ele não tem é NADA,a não ser pose. Que coisa desagradável que ele é!

    Para completar, também não sou lá estes fãs de Spielberg.
    Sei que fez coisas boas como Tubarão, A Lista de Schindler, ET, Contatos Imediatos de 3o. Grau,dentre mais um ou outro.
    Mas, no geral, se mete em muitas frias, faz muitas porcarias, e o considero um Bronston melhorado, pois tudo onde se mete tem de ser faraônico e quase sempre ganha muito.

    São homens que se acham mais importantes do que são.Falo do Spielberg, por exemplo. Uma hora desta ele vai tomar uma porrada que não vai se aguentar de pé, embora esteja cheio de dinheiro e pouca falta venha a fazer um prejuizo, por maior que ele venha a ser.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  6. Emanuel;

    Boa pancada esta sua. Achei muito bem colocada. Não tem mesmo maneira mais idiota, nem patética, de se por no lixo milhoes de dólares.
    Sua frase não foi exatamente essa, mas o sentido foi o mesmo. Muito bem colocado!

    Só não concordo com o velho Ford, pois sou seu fã e gosto muito de seu trabalho
    Abraço
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  7. Caro Lamarc;

    Te aconselho; PERCA TOTALMENTE A CORAGEM.
    Não vou desejar ver você voltando a este blog, neste post, para dizer que porcaria, que arrependimento, nunca vi coisa pior, perdi meu tempo, etc, etc, etc.
    Então; perca logo a coragem.
    E olha mais uma coisa; o Daniel Craig está na fita! É ou não é um conselho de amigo?

    E olha que eu tenho muito faro para estas coisas.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  8. Darci, quem consegue atirar e matar vários alienígenas usando uma arma inventada por eles mesmos? Um cowboy! Vários roteiristas, muitas mãos e poucos neurônios.
    Harrison Ford parece o Lorne Greene, três filhos de mães diferentes...

    ResponderExcluir