UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

10 de março de 2011

SING, KIRK DOUGLAS, SING!

video
Kirk Douglas e Burt Lancaster foram os dois maiores astros de Hollywood nos anos 50, um superando o outro a cada filme, isto quando não disputavam quem era melhor nos filmes em que atuavam juntos. Burt podia ser mais atlético, mas Kirk era mais versátil pois se precisasse dançava e cantava em seus filmes. Quando fez seu primeiro western “Embrutecidos pela Violência” (Along the Great Divide), em 1951, não sabia montar nem empunhar um Colt direito. Mas aprendeu rápido e logo se tornou um verdadeiro ás na sela e no manejo do revólver, como ele demonstra em “Homem sem Rumo” (Man Without a Star) de 1955. E Kirk Douglas gostava muito de soltar a voz, como fez cantando para uma foca em “20.000 Léguas Submarinas”. No western “Embrutecidos pela Violência” Walter Brennan leva Kirk à exasperação cantando sem parar “Down in the Valley”, canção que no filme não traz boas lembranças a Kirk. Quando o moribundo John Agar lhe pede que cante, Kirk canta singelamente essa tradicional música do Oeste. Em “Rio da Aventura” (The Big Sky) de 1952, outra vez Kirk mostra seus dotes vocais. Mas Kirk estava em melhor forma no maravilhoso pequeno grande western “Homem sem Rumo”, e dança, toca banjo e canta radiantemente “Brighter and Brighter”. “O Último Pôr-do-Sol” (The Last Sunset) de 1961 pode não ser uma obra-prima do gênero, mas tem grandes momentos e um deles é quando Kirk Douglas acompanha um trio de mexicanos cantando “Cucurucucu Paloma” para Carol Linley. Kirk Douglas era um ator completo, desses que só aparecem a cada cem anos e, por sinal, Kirk se encaminha para essa idade pois acaba de fazer 94 em dezembro último. Como demonstrou na entrega do Oscar, Kirk está em excelente forma apesar dos problemas de saúde que vem superando nos últimos anos. Nesta pequena homenagem em vídeo ao ‘cantor’ Kirk Douglas podemos rever muitos astros e estrelas do passado, como Walter Brennan, Virginia Mayo, John Agar, Dewey Martin, Richard Boone, Claire Trevor, Jeanne Crain, William Campbell, Rock Hudson, Carol Linley e a irresistível Dorothy Malone. E fica a sugestão para serem revistos esses belos westerns com o estupendo Kirk Douglas.

4 comentários:

  1. Vi muitos filmes de K Douglas, mas sem nunca me impressionar muito com suas atuações. Nunca o comparara a um Lancaster, um Cooper, um Peck ou mesmo a um Quinn. Para mim ele era apenas um ator que me dava o que eu gostava; aventura, duelos, brigas. Todos os seus filmes, no meu ver, eram gostosos, aventurescos, uma delicia de se ver. Mas, com sinceridade, ele não passava apenas de uma boa distração para mim.
    Até que há pouco tempo atras eu vi na TV um filme com ele de David Miller, de 1962, chamado Su ultima façanha. Que desempenho! Fiquei embevecido com seu trabalho por um todo e então eu tive que parar.
    Aí então eu parei. Parei e procurei me mentalizar e voltar atrás. Sim, porque a interpretação de Douglas naquele filmes, principalmente no momento em que está caido do cavalo no final, com aquele olhar vago, olhos de contornos de morte, eu tive que reavaliar tudo o que de "apenas tão simples" eu vira no ator por toda a vida.
    E veja-se que eu já tinha visto Viking, Spartacus, A montanha dos sete abutres e até mesmo Chagas de Fogo. Enfim, eu já havia visto quase que tudo dele.
    O que fiz? Fui então rever o que me foi possível deste ator e observar suas atuações com mais atenção, com mais respeito, com mais carinho. E descobri que eu vira filmes dele com belissimas interpretações, mas que minha cabecinha adolescente apenas me deixara ver seus momentos de explosão, de ação, seus duelos invenciveis. Acho mesmo que somente aí eu vi de fato um Chaga de Fogo, Spartacus, Viking, A montanha dos 7 abutres e muitos outros.
    Me penitencio por minha desatenção para com o mesmo. Precisamos ver os filmes no seu todo, porque a atuação daquele ator em Chaga de Fogo e Sua ultima façanha é algo para se respeitar e lhe dar o valor que ele tinha. Se fez algumas fitas sem muito enlevo, isso acontece com todos atores. Mas somente depois de adulto fui descobrir o grande interprete que aquele amarelo de cabelos de fogo era.
    E me desculpo a ele, assim como aos seus fãs, que por este mundão não são poucos. Douglas foi sim um grande ator.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amigo Jura
    Também levei algum tempo para colocar Kirk Douglas no grupo dos grandes atores. Revendo seus filmes não fica nenhuma dúvida quanto ao seu talento.
    darci.fonseca@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo video foram grandes momentos do grande Kirk Douglas, acredito que ele devia estar muito inspirado quando cantou, dançou e tocou banjo divinamento. Sem dúvida uma grande atuação de Kirk Douglas e sem apelar para saudosismo
    atores com o talento e a garra de Kirk não existem nos dias de
    hoje. Já citei anteriormente o trabalho de Kirk em Sua Ultima
    Façanha, e volto a afirmar que ele merecia o Oscar de Melhor
    Ator.

    ResponderExcluir
  4. É uma pena, que a academia de Wolywood, nunca deu o merecido Oscar a Kirk. Só quando estava bem velho e numa cadira de rodas, lhe deram o prêmio pelo "Conjunto da Obra". Sem dúvida uma das maiores injustiças que a Academai de Artes e Ciências fez em sua existência. Outros atores, com atuações inferiores a de Kirk, receberam a estatueta, e a ele fizeram a suprema das injustiças. Só por sua atuação em Homem Sem Rumo, ele já mereceria o seu primeiro "Oscar" de sua vida. Assim são os homens de Holywood, que premiam às vezes os medíocres e fazem injustiça com os merecedores...

    ResponderExcluir