UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

10 de dezembro de 2013

TOP-TEN WESTERNS DE OSVALDO LESCRECK FILHO, UM CINÉFILO POLÊMICO


Os companheiros de trabalho de Vadeco na
Refinaria Presidente Bernardes
 Umberto 'Hoppy' Losso e
Argemiro 'Miro' Antunes.
Mais conhecido pelos muitos amigos por Vadeco, Osvaldo Lescreck Filho frequentou desde cedo os principais cinemas da cidade de Santos, onde nasceu. Vadeco aprendeu a gostar de faroestes vibrando com as aventuras de Roy Rogers, Rocky Lane, Rex Allen e outros mocinhos. Adolescente ainda descobriu que havia faroestes muito melhores que aqueles, faroestes interpretados por atores famosos como Gary Cooper, Alan Ladd e John Wayne. Vadeco se tornou um cinéfilo e trabalhando na Refinaria Presidente Bernardes, a Petrobrás, em Cubatão, teve a felicidade de ter por colegas de trabalho dois grandes fãs de cinema como Umberto ‘Hoppy’ Losso e Argemiro ‘Miro’ Antunes. Desde jovem Vadeco manifestava uma característica especial de sua personalidade forte: o gosto pela polêmica. E esse aspecto vale não só para a política mas também para futebol e para as artes em geral. e, claro, para suas opiniões sobre filmes, artistas e diretores. E após se formar em Direito e se tornar o respeitado Doutor Osvaldo Lescreck Filho, Vadeco aprimorou sua argumentação cada vez mais difícil de ser enfrentada.

Uma das opiniões polêmicas de
Osvaldo Lescreck Filho.
“Rastros de ódio” não é lá essas coisas - Miro Antunes em sua monografia intitulada “Sergio Leone” menciona, na introdução, o nome de Osvaldo Lescreck Filho lembrando que Vadeco “é admirador de westerns e cujo verdadeiro fanatismo é descobrir nomes de coadjuvantes”. Recorda ainda o Miro que foi ao lado do amigo Vadeco que assistiu pela primeira vez a “Três Homens em Conflito”, ampliando a admiração de ambos pelos filmes de Sergio Leone. Mas polêmico como sempre, Vadeco diz que “Era Uma Vez no Oeste” é um filme extraordinário, mesmo com um elenco inadequado no qual nem Henry Fonda, nem Jason Robards e menos ainda Charles Bronson estão bem nos papéis. Uma afirmação como essa é capaz de gerar muita discussão, ainda mais entre apaixonados como o próprio autor da frase. Provocador, Vadeco diz que “Rastros de Ódio” “é um filme muito reverenciado, mas que não é lá aquelas coisas”, comprando briga certamente com quase todos os fãs de westerns. Assim é o Vadeco, Dr. Osvaldo Lescreck Filho, que após se aposentar assiste filmes todos os dias ao lado da esposa. Vadeco assiste muitos faroestes e em meio a esse gênero assiste preferencialmente comédias italianas, filmes de arte europeus e asiáticos e já assistiu praticamente a tudo que Tinto Brass dirigiu. Mesmo sendo experiente causídico, Vadeco é capaz de chorar “desbragadamente” como ocorreu ao assistir recentemente à produção japonesa “A Partida”.

Acima Sterling Hayden em "Reinado do
Terror"; abaixo Lee Marvin em
"Sete Homens Sem Destino".
"The Wild Bunch", irretocável - Vadeco atendeu prontamente ao pedido de WESTERNCINEMANIA elaborando sua lista de melhores westerns, encabeçada por “Meu Ódio Será Sua Herança” que ele considera uma obra-prima absoluta e irretocável. Os nove demais westerns são listados sem ordem de preferência, ainda que conversando com Vadeco se perceba sua grande admiração por Sergio Leone. Mesmo abominando o comportamento político do cidadão John Wayne, Vadeco listou dois filmes com o Duke entre seus westerns favoritos. E o santista justifica a ausência de filmes de Anthony Mann em sua lista pelo fato de os personagens de Mann serem excessivamente ‘clean’, mas confessa que revê muitas vezes “Winchester 73”, seu preferido entre os westerns de Anthony Mann. Vadeco gosta bastante de um faroeste pouco lembrado, dirigido por Henry Hathaway em 1951, intitulado “Correio do Inferno”, com Tyrone Power, Susan Hayward e com ótima participação de Jack Elam. Entre os filmes que Vadeco colocaria na lista se ela comportasse outros títulos estão “Consciências Mortas” (William A. Wellman), “Sete Homens Sem Destino” (Budd Boetticher), “Reinado do Terror” (Joseph H. Kane) e "Sete Homens e um Destino" (John Sturges). Outro western que Vadeco admira sobremaneira é "Portal do Paraíso", o financeiramente fracassado filme de Michael Cimino. Quando de sua exibição Vadeco se recorda que era o solitário defensor das qualidades dessa produção. Completando uma segunda relação Vadeco inclui "A Face Oculta" (One-Eyed Jacks), "Da Terra Nascem os Homens" (The Big Country), "E o Bravo Ficou Só" (Will Penny) e fecha a lista com ou tro western de Sergio Leone, "Quando Explode a Vingança" (Giù la Testa). Eis a lista de Osvaldo Lescreck Filho, que faz breves comentários (em itálico) a respeito dos filmes que são listados por ordem alfabética, exceção feita a “The Wild Bunch”:

1.º) Meu Ódio Será Sua Herança (The Wild Bunch), 1969 – Sam Peckinpah
Western primoroso com excepcional atuação de um elenco espetacular com destaque para os mexicanos Jaíme Sanchez, Emílio Fernandez e Alfonso Arau. Simplesmente o melhor de todos os faroestes. 

Dança com Lobos (Dances with Wolves), 1990 – Kevin Costner
Filme encantador e poético de um diretor injustamente menosprezado que é Kevin Costner.

Era uma Vez no Oeste (C’Era una Volta Il West), 1968 – Sergio Leone
Cláudia Cardinalle é sempre um colírio para os olhos e é grande destaque neste maravilhoso filme de Sergio Leone, ainda que se ressalte as atuações fracas dos atores norte-americanos, especialmente a de Charles Bronson com sua irritante harmônica.

Matar ou Morrer (High Noon), 1952 – Fred Zinnemann
Não entendia nada de cinema quando assisti a “Matar ou Morrer” na década de 50, mas este filme de Fred Zinnemann me fez ver que eu não estava diante de um filme qualquer. Grandes atuações dos bandidos, especialmente de Ian McDonald, vilão inesquecível. Grace Kelly bonita mas gélida, enquanto Katy Jurado transbordava sexualidade.

No Tempo das Diligências (Stagecoach), 1939 – John Ford
Eu já havia lido “Bola de Sebo”, de Guy de Maupassant quando assisti pela primeira vez este filme de John Ford. Admirável sob todos os aspectos.Atores principais em 'estado de graça' e coadjuvantes perfeitos. Quanto aprendi com esse filme...

Os Brutos Também Amam (Shane), 1953 – George Stevens
Foi no Cine Caiçara, em Santos, em meados dos anos 50 que fiquei impressionado com a bonita história de “Shane”, sua música tocante que fazia sucesso no Brasil na voz de Osny Silva com o título “Cavaleiro Errante”. Western com um vilão impressionante interpretado por Jack Palance. Os coadjuvantes estão sensacionais, mas Ben Johnson, Emile Meyer e Elisha Cook Jr. extrapolam.

Os Imperdoáveis (Unforgiven), 1992 – Clint Eastwood
Faroestes de Clint Eastwood já começam ganhando de 1 x 0 (esse sim é meu ídolo) e “Os Imperdoáveis” é o melhor de todos os westerns de Clint. Está aí para quem quiser ver e dispensa comentários...

Pacto de Justiça (Open Range), 2003 – Kevin Costner
Simplesmente um filmaço com outra estupenda atuação do grande ator Robert Duvall. Espécie de resposta de Kevin Costner àqueles que falam tão mal do ator-diretor. Um filme atual e pouco visto pelos fãs. Para mim é ÓTIMO e bate muito filme famoso e badalado. Poucos o conhecem, o que é uma pena.

Rio Vermelho (Red River), 1948 – Howard Hawks
O que mais me atrai neste western de Howard Hawks é sua autenticidade, que leva o espectador a se sentir como se estivesse no verdadeiro Oeste e diante de verdadeiros cowboys. Dos filmes de westerns com John Wayne, para mim, é sua melhor participação.

Três Homens em Conflito (The Good, the Bad, the Ugly), 1966 
Meio comédia, cheio de exageros, resultando em um filme sensacional com música e elenco sensacionais. Talvez até pelas lembranças que o filme me traz, talvez seja o filme que mais vi na minha vida.


O Top-Ten Westerns de Osvaldo Lescreck Filho, o Vadeco:
À esquerda Robert Ryan (Meu Ódio Será Sua Herança)
 Kevin Costner (Dança com Lobos) - Jack Elam (Era Uma Vez no Oeste)
 Katy Jurado e Lloyd Bridges (Matar ou Morrer)
Andy Devine, John Wayne e George Bancroft (No Tempo das Diligências)
À direita Brandon De Wilde (Os Brutos Também Amam)
Gene Hackman (Os Imperdoáveis)
Kevin Costner e Robert Duval (Pacto de Justiça)
John Wayne e Montgomery Clift (Rio Vermelho)
Eli Wallach (Três Homens em Conflito)
Lista complementar“Winchester 73”, 1950, de Anthony Mann / "Correio do Inferno" (Rawhide), 1951, de Henry Hathaway / "Consciências Mortas" (The Ox-Bow Incident), 1943, de William A. Wellman / Sete Homens e um Destino (1960), de John Sturges / "Reinado do Terror (Terror in a Texas Town), 1958, de Joseph H. Lewis / "Sete Homens Sem Destino" (Seven Men from Now), 1956, de Budd Boetticher / "O Portal do Paraíso" (Heaven's Gate), 1980, de Michael Cimino / "A Face Oculta" (One-Eyed Jacks), 1961, de Marlon Brando / "Da Terra Nascem os Homens" (The Big Country), 1958, de William Wyler / "E o Bravo Ficou Só" (Will Penny), 1968, de Tom Gries / "Quando Explode a Vingança" (Giù la Testa), 1971, de Sergio Leone.

10 comentários:

  1. Que lista heim, muito boa mesmo, todos filmes de alto nivel e esse Osvaldo conhece bastante mesmo. pacto de justiça é um faroestaço. Valeu.Antonio Vicente.

    ResponderExcluir
  2. Esse Osvaldo sabe das coisas. Só de lembrar de 'Portal do paraíso", um filmaço que a critica americana falou mal porque retrata um passado que eles querem esquecer, já merece ser assistido. MUITO BEM!!!

    ResponderExcluir
  3. Grande Vadeco !! Gostei da lista,pois além de SHANE,meu preferido nº1,vc colocou PACTO DE JUSTIÇA que também a meu ver é um dos dez melhores filmes do gênero em todos os tempos,mesmo feito recentemente(2003) ! Um grande abraço deste admirador de Indaiatuba !!

    ResponderExcluir
  4. Só filmão, não há dúvida. Há uma certa preferência por filmes com ares mais modernos, sem deixar de fora os grandes clássicos do gênero. Admirável bom gosto e autenticidade que refuta o que previamente colocam os especialistas. Não vi ainda Reinado do Terror, mas vou ver sem dúvida de que é um bom filme.

    Vinícius Lemarc

    ResponderExcluir
  5. Gostei da lista, principalmente quando se tem comentários corretos de atores como Jack Palance (mal aproveitado na maioria dos filmes que participou) e Robert Duvall que merece maior reconhecimento. Tem um "seguidor" quanto a dizer que "Rastros de Ódio" "...não é lá aquelas coisas".
    Francisco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Francisco
      A expressão 'não é lá essas coisas' usada pelo Vadeco pode significar que Rastros de Ódio é um filme fraco ou apenas regular. Listar dez faroestes implica em deixar alguns extraordinários de fora da lista, todos sabemos, mas o polêmico Vadeco quis mesmo é provocar quem gosta de Rastros de Ódio e tenho certeza que um cinéfilo do quilate do santista não deve considerar esse filme de John Ford fraco ou apenas regular. Mas isso somente ele poderá confirmar.
      Darci Fonseca

      Excluir
    2. Oi Darci, também acho, esse comentário foi na direção de acreditar que somente não considera que Rastros de Ódio deva estar entre os seus TopTen. Quanto à excelente dupla John,s Ford e Waine estão bem representados (e afinados) por No Tempo das Diligências.
      Meus respeitos.
      Francisco

      Excluir
  6. José Fernandes de Campos20 de dezembro de 2013 18:21

    RASTROS DE ODIO não é um grande filme, o que eu tenho mais para dizer. Lamentavel. Reinado de Terror para entrar na lista, o que dizer. GOSTO É GOSTO vamos respeitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, José Fernandes
      Além do respeito ao gosto pessoal de cada um, ainda tem aquela questão de discutir com o Vadeco que jamais entrega os pontos. Rastros de Ódio está aí há quase 60 anos se mostrando um western insuperável, mesmo diante de Peckinpah, Leone, Mann e outros. Mesmo sendo um dos maiores diretores de cinema de todos os tempos (no mundo inteiro), John Ford não é uma unanimidade.
      Abraço do Darci

      Excluir
  7. Olá, Francisco
    Continuamos no aguardo de posicionamento do Vadeco pois somente ele pode dizer o que acha de Rastros de Ódio.
    Abraço - Darci

    ResponderExcluir