UMA REVISTA ELETRÔNICA QUE FOCALIZA O GÊNERO WESTERN

4 de janeiro de 2012

NA ENCRUZILHADA DOS FACÍNORAS (The Jayhawkers) - JEFF CHANDLER BANDIDO MEGALOMANÍACO


Os franceses, tanto público como muitos críticos, gostaram de "Na Encruzilhada dos Facínoras" (The Jayhawkers), faroeste de 1959 dirigido por Melvin Frank que fez bastante sucesso por lá quando de seu lançamento. A razão desse sucesso certamente se deve ao fato do filme conter muitas referências àquele país, especialmente à figura de Napoleão Bonaparte e conter personagens franceses, um deles interpretado pela atriz Nicole Maurey, também francesa. "Na Encruzilhada dos Facínoras" esbarra ainda em Virgílio ao lembrar do cavalo de tróia da "Eneida" e chega até o estrategista militar prussiano General Von Clausewitz. A música original foi composta por Jerome Moross, compositor, entre outros temas do inigualável "The Big Country", tema principal de "Da Terra Nascem os Homens". A excelente cinematografia é de Lloyal Griggs, premiado diretor de fotografia de "Os Brutos Também Amam" (Shane). Mesmo com esses nomes famosos "Na Encruzilhada dos Facínoras" é um faroeste apenas mediano que deixa a certeza que poderia ser muito melhor.

Elenco de "Na Encruzilhada dos Facínoras" com fotos extraídas de
DVD de baixa qualidade adquirido junto à DVD Califórnia.

O líder dos jayhawkers (Chandler) e seu
braço direito (Henry Silva)
GUERRILHEIROS DO KANSAS - Cam Bleeker (Fess Parker) foi um soldado que lutou na guerra mexicana e se evadiu da prisão para reencontrar sua esposa. Ao chegar na casa em que morava encontra Jeanne Dubois (Nicole Maurey) uma viúva de origem francesa com seus dois filhos pequenos. Jeanne conta ao fugitivo que sua esposa morreu de pneumonia. Bleeker descobre que o responsável pela morte de sua mulher foi Luke Darcy (Jeff Chandler), homem que comanda meia centena de 'jayhawkers', espécie de guerrilheiros. Darcy e seu bando praticam uma série de roubos com o objetivo de se armar para promover guerrilhas. Darcy pretende ser o dono do Kansas que, nesse período pré-Guerra Civil, ainda não era um Estado norte-americano. O governador William Clayton faz um acordo com Bleeker, prometendo anistiá-lo de sua pena se ele ajudar a capturar vivo Luke Darcy. Bleeker junta-se então ao megalomaníaco líder dos 'jayhawkers' e passando-se por seu amigo termina preparando uma armadilha para Darcy, a quem afinal mata para que este não venha a ser enforcado pelas forças governamentais.

O megalomaníaco Luke Darcy
UMA AMBÍGUA AMIZADE - "Na Encruzilhada dos Facínoras" teve quatro escritores trabalhando em seu roteiro e sabe-se lá qual parte cada roteirista escreveu, sendo talvez essa a razão deste faroeste ter uma sucessão de clichês, diálogos desconexos e posições conflitantes de alguns personagens e mesmo assim ter, ao final, um resultado bastante previsível. Mas essa interessante história recebe ainda um viés adicional que é a ambígua relação entre os personagens de Jeff Chandler e Fess Parker. Não falta sequer uma frase em que Luke Darcy diz ambiguamente a Cam Bleeker pouco antes de se confrontarem "...matar algo que você amou e agora odeia" ou a sequência com o baralho determinando 'amor' e 'morte' para a sorte de Darcy. E Bleeker, deixando de cumprir o trato feito com o Governador, decide matar (ou ser morto) por Darcy para que este não venha a ser enforcado. E é Darcy quem sacando mais rápido erra propositalmente para não ferir o amigo. O personagem de Luke Darcy sobressai-se dos demais pois é um homem culto, com muitos livros na estante, apreciador de bons vinhos e de belas mulheres, a quem, como faz com as garrafas vazias, atira fora depois de saborear o conteúdo. Darcy é admirador de Napoleão, de quem possui um busto decorando seu quartel general e em seus devaneios bonapartistas Darcy tem o objetivo de conquistar o Kansas, prometendo não cometer o mesmo erro militar do pequeno corso. O que acaba atrapalhando Luke Darcy é ele ter confiado e se apegado excessivamente a Sam Bleeker. Em meio aos dois homens está a bela viúva francesa interpretada por Nicole Maurey que se apaixona pelo viúvo Bleeker e que não aceita a amizade deste com Luke Darcy.  

Cenas já vistas em outros
filmes, num dos muitos
clichês deste western
DESTAQUE PARA HENRY SILVA - Jeff Chandler tem em "Na Encruzilhada dos Facínoras" um dos mais complexos personagens que já interpretou e compõe com perfeição Luke Darcy. Esse faroeste mostra inequivocamente como Henry Silva e Leo Gordon eram bons atores, ambos como facínoras liderados pelo Darcy de Jeff Chandler. Nicole Maurey, que na França chegou a ser dirigida por Robert Bresson,  e que atuou em uma série de filmes nos cinemas norte-americano e inglês, retornou depois à França onde passou a atuar predominantemente na televisão. Nicole não desaponta como a víuva Jeanne Dubois, a quem interpreta com intensidade. Fess Parker é aquele tipo de ator de quem não se pode esperar muito com seu rosto simpático e confiável mas quase imutável. Após participar de alguns westerns no cinema Parker se imortalizou na televisão como Davy Crockett primeiro e posteriormente como Daniel Boone. Ainda no elenco Frank De Kova, Don Megowan (jayhawkers) e Herbert Rudley. Atenção para a pequena participação de Ned Glass, o 'Doc' de "Amor, Sublime amor", uma das vítimas do McCarthysmo e que colocado na lista negra de Hollywood só conseguiu trabalho por um tempo na incipiente televisão no início dos anos 50.

Henry Silva, insuperável com seu típico escárnio e brutalidade

JEFF CHANDLER E SEU PERSONAGEM CHAMADO DARCY - Assisti a "Na Encruzilhada dos Facínoras" em 1960 e qual não foi a minha surpresa ao ver meu nome (no filme grafado com 'Y') falado e escrito nas legendas atribuído ao personagem Jeff Chandler. Esse ator muito famoso e querido morreria precocemente no ano seguinte, aos 42 anos de idade. Foi uma satisfação ver o nome Darcy na tela e lembro que à época gostei bastante desse faroeste distribuído pela Paramount. Era um tempo em que não passava semana sem que houvesse um novo western em cartaz, alguns espetaculares como "Sete Homens e um Destino" e outros que agradavam em cheio aos fãs do gênero, como Na Encruzilhada dos Facínoras", aqui resenhado pelo mesmo Darci espectador mais de 50 anos depois.


9 comentários:

  1. Gosto muito deste western também Darci, que tenho em VHS original lançado há anos pela Reserva Especial, mas já converti para DVD.

    Talvez Jeff Chandler não fosse um brilhante ator, mas tinha carisma e atraía as platéias, mas aqui nesta fita ele demonstrou uma ótima atuação. Uma pena ter falecido precocemente (após uma cirurgia na espinha, se não estou enganado).

    Para completar, o filme ainda nos brinda com o eterno Daniel Boone, Fess Parker, que acabou fazendo mais sucesso na TV.

    Este western merecia mesmo um post digno. Valeu, Darci, grande abraço!

    Paulo Néry
    FILMES ANTIGOS CLUB ARTIGOS
    http://articlesfilmesantigosclub.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Não conheço esse filme. Mas Melvin Frank não é de confiança. No entanto, Jeff Chandler tem o seu charme.

    Cumprimentos cinéfilos e Feliz 2012!

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  3. Assisti esse filme e, lembro que por muitos anos ficou marcado como um dos melhores. O nome não esquecerei: "Encruzilhada dos Facínoras" mas as cenas, de poucas recordo-me.
    Assim, agradeço-lhe pela oportunidade que nos dá. Parabéns pelo belíssimo trabalho de pesquisas. Sucessos... sucessos sempre.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo incentivo, mas da próxima vez deixe seu nome. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Sim. Poderia, de fato, ser muito melhor.
    Assisti a esta fita lá pelos idos de 61/62, no seu lançamento no Brasil, e fiquei encantado com o teor, um tanto diferente, de sua narrativa.
    No entanto, há poucos meses, mandei buscar uma cópia em SP para rever e me decepcionei um pouco com o filme, também valendo tudo isto pela má qualidade do que recibi para ver. Chandler está muito bem e jamais esqueço a frase que ele diz para o próprio Parker sobre a mulher dele, por desconhecer aquele fato (mulher é como uma garrafa de vinho, bebe-se o vinho e joga-se a garrafa fora). Isso na cara do homem a quem a mulher destruiu. E Parker, que é um pessimo ator, não corresponde em revolta, mesmo que facial, a um momento como este. Nunca este foi um papel que poderia ser entregue a um homem sem qualquer recurso cênico para interpretar. Isto mesmo, Fess Parker era fraco de doe! Ele está intruso na fita, com aquele tamanhão todo e sem mostrar ou dar qualquer qualidade ao personagem. Fato semelhante que não ocorre com o sempre perfeito Henry Sylva, que se mostra atuante e desempenha seu papel diminuto num trabalho acima da média.
    É sim, um faroeste diferente onde Chandler, novamente numa muito boa interpçretação, tenta uma proeza que, logo à primeira vista, parece impossível e que se concretiza.Aquele plano seu jamais daria certo, fica visível tal situação.
    Quanto à musica de Jerome eu logo desconfiei ser dele, já que os créditos não aparecem na cópia pessima que me enviaram. Até perguntei ao Darci, não o Chandler, mas o Darci desta edição, se não era do Jerome Moross aquela trilha, uma vez ter os mesmo acordes da de Da Terra Nascem os Homens. No entanto, acredito, não cheguei a obter tal confirmação de nosso editor. E agora comprovo que tinha toda razão. É dele sim aquela boa trilha musical.
    Na Encruzilhada dos Facinoras ganha por ser uma fita atipica, por ser bem interpretado por alguns de seus personagens, por ter um diretor que justifica algum respeito e por Chandler, que
    me parece num de seus melhores instantes. Refinado, sempre agindo com justiça, sempre bem vestido e com uma educação e senso de justiça acurados. Não se perde nada em ver este western
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  6. Jurandir, Fess Parker havia sido ator de uma série para a TV que teve enorme aceitação que foi Davy Crockett, daí para o cinema era um passo certo. Parker era bastante limitado mas atuou em bons filmes como The Jayhawkers e o ótimo Meu Melhor Companheiro, para seu patrão Walt Disney. esse foi o primeiro trabalho de Jerome Moross de pois da incrível trilha para The Big Country. De fato se parecem um pouco, mas em Da terra Nascem os Homens Moross estava inspirado creio que por uma força maior.

    ResponderExcluir
  7. Realmente uma pena a morte prematura de Jeff Chandler, um ator
    simpatico, carismatico e com um estilo contido de atuar, que dava impressão de ser um ator limitado, mas na realidade era um
    ator bastante versatil. Dada a sua estatura e fisico avantajado
    sempre era destadado para filmes de ação, onde sua presença dominava o filme sem exigir dele maiores esforços. Sua carreira foi interrompida num momento em que ele estava em crescimento artistico, e daria ainda muito prazer aos seus fãs.
    artistico,

    ResponderExcluir
  8. Fess Parker fez a serie "Daniel Boone"...

    ResponderExcluir
  9. Claudio Soares da Costa8 de março de 2013 22:45

    Excelente artigo sobre um filme que marcou minha infancia. Era m uito fã do cabelo branco. Bendito 0o dia que o Campos falou deste blog. Não passo as sextas feiras sem ler os artigos publicados. Gostaria de mandar meu Top Ten. 0Como escrevi em muitos artigos hoje, responda no topico do Campos pois abro toda sexta feira, nem sei quantos topicos abri hoje.

    ResponderExcluir